Eleições Europeias – É um contrassenso querer proteger o ambiente mas apoiar mais quem usa mais químicos

0
8
DR-BE/Açores

“Há um contrassenso nesta União Europeia que, por um lado, quer um ambiente mais sustentável, e por outro lado, financia as explorações intensivas, que usam excesso de produtos químicos”, disse a candidata do BE/Açores ao parlamento europeu, que numa reunião com a Associação Terra Verde, defendeu uma aposta forte na diversificação agrícola e na produção sustentável e biológica.

Alexandra Manes critica a atual política da União Europeia para a Agricultura (PAC) porque está desenhada para beneficiar os grandes produtores e prejudicar as explorações mais pequenas e sustentáveis, como as que temos nos Açores.

A candidata salienta que atualmente os apoios são concedidos de acordo com a dimensão das explorações, sem ter em conta outros fatores como o emprego criado ou a qualidade dos produtos, e defende que esta realidade tem que ser alterada, quer por uma questão de justiça e coesão social, mas também para proteger o ambiente, já que as grandes explorações, “que utilizam mais produtos químicos” são também “as que recebem mais apoios da União Europeia”.

Há, aliás, um estudo de uma universidade francesa, realizado em 2017, que indica que as explorações agrícolas que demonstram menos impactos ambientais foram as que receberam também menos ajudas.

Referindo-se particularmente aos Açores, Alexandra Manes aponta a diversificação agrícola não só como uma forma de dar resposta aos problemas que o sector do leite atravessa – devido à desregulação que a União Europeia criou ao acabar com o sistema de quotas para a produção –, mas também como forma de reduzir a importação de produtos e tornar a agricultura mais sustentável.

O BE defende também o aumento dos apoios aos transportes nas Regiões Ultraperiféricas, como os Açores, que permita aumentar as exportações. “Vivemos numa espaço descontínuo, em que os custos de produção são agravados” exatamente pela distância entre o nosso arquipélago e os mercados para onde podemos exportar os nossos produtos, explica Alexandra Manes.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO