ESMA – Comemora o Dia da Escola

0
83
TI

TI

A Escola Secundária Manuel de Arriaga celebrou, no passado dia 15 de maio, o Dia da Escola, que contou com a realização de diversas iniciativas e eventos, tendo culminado com a sessão solene no auditório António Duarte.

No passado dia 15 de maio, a Escola Secundária Manuel de Arriaga (ESMA) comemorou o Dia da Escola, que contou com inúmeros eventos e atividades, tendo culminado com a realização da respetiva sessão solene no auditório António Duarte.
Usando da palavra o Presidente do Conselho Executivo, Pedro Medeiros começou por destacar o facto de, naquele dia, se comemorarem 164 anos da Escola, a qual iniciou a sua actividade a 01 de outubro de 1853, tendo-lhe sido atribuídos vários nomes ao longo do seu percurso de vida, tais como Liceu Dr. Manuel de Arriaga ou Escola Secundária Manuel de Arriaga.
De acordo com Pedro Medeiros “somos uma escola com uma Associação de Estudantes, uma Associação de Pais e de projectos”, como o Clube de Filatelia ou o Grupo de Teatro “Sortes à Ventura”.
“Somos uma escola com parcerias que se constroem diariamente, que emergem das dinâmicas vividas por professores, alunos, funcionários, pais, encarregados de educação, somos uma escola que integra e se procura integrar constantemente, que afirma relações na ilha, na Região, no país, no mundo”, referiu o Presidente da ESMA no seu discurso do Dia da Escola.
Medeiros salientou ainda o facto de os professores serem muitas vezes “esquecidos e subestimados”, mas que têm razões para acreditar no futuro, para ter esperança e energia, apesar das dificuldades do presente.
De acordo com o Presidente do Conselho Executivo da ESMA há que estar juntos “por uma escola forte e sólida” na defesa dos valores que são a base na sociedade em que vivemos.
De seguida, usou da palavra a Presidente da Associação de Estudantes, Ana Benfeitinho que considerou “a escola como um meio social, um local de aprendizagem, decisões, oportunidades e obstáculos”, encarando a sua presidência como um desafio “capaz de me fazer querer fazer mais e melhor” no que respeita à defesa dos interesses dos alunos.
Ana Benfeitinho elencou também muitas das actividades levadas a cabo pela Associação de Estudantes, tais como feiras, torneios desportivos e acções de sensibilização.
Por seu turno, a representante da Associação de Pais, Paula Lourinho destacou este momento de celebração, mas também de reflexão “sobre o que é a educação hoje, o que nós pretendemos como pais, como encarregados de educação”.
O Presidente do Conselho Pedagógico, Roberto Terra discursando perante os presentes considerou que “a escola se reveste ainda de maior importância quando em certas comunidades só existe uma única escola que ministra o 3.º ciclo do ensino e o secundário”, como acontece na ilha do Faial com a ESMA.
“Daí que as estratégias pedagógicas com vista à formação dos nossos alunos deverão ser duplamente pensadas e estruturadas para que possamos ser o pilar basilar da sociedade faialense, salientou Roberto Terra.
Para este “a ESMA foi e é esse pilar”, e que tudo será feito para conceder aos alunos dessa escola “as estratégias necessárias para que esta instituição seja o local de eleição ao nível da sua formação”, nomeadamente através da realização de parcerias com instituições locais que possam contribuir para o processo ensino-aprendizagem.
Para a Presidente da Assembleia de Escola, Maria do Céu Brito “considerando a escola enquanto organização, há que dotá-la de recursos materiais e humanos equivalentes” de forma a poder garantir a supervisão do espaço físico, a integração e a segurança de todos e de cada um”.
Para Maria do Céu Brito “há que assumir responsabilidades coletivas”, por parte dos pais e encarregados de educação, escola, comunidade, instituições, sempre com a consciência que “a educação e a prevenção de comportamentos de risco começa na família”, dentro e fora dos muros da escola.
Entende ainda que é necessário prevenir o abandono escolar e “criar condições para o sucesso efetivo de todos”, garantindo a qualidade das aprendizagens e dos resultados escolares, promover a equidade social e criar condições para a concretização da igualdade de oportunidades.
Por último, destacou ainda que a “família é o pilar educacional de base” e que é “na família que se alicerçam as visões de futuro”.
De acordo com a Vereadora da Câmara Municipal da Horta Ester Pereira “tem sido apanágio da ESMA a conquista de prémios em projetos nos quais participa”, e que confirma que os estudantes faialenses são um exemplo, juntamente com os professores que os orientam.
Para Ester Pereira o nosso concelho pode orgulhar-se dos seus estabelecimentos de ensino que pelas suas infraestruturas mais propiciam “a prática do ensino de excelência”.
A terminar esta sessão solene do Dia da Escola discursou o Secretário Regional da Educação e Cultura, Avelino Meneses, o qual entende que, na sociedade de hoje, mais do que os recursos “valem as qualificações”, daí que esteja convencido que a educação “é o instrumento da transformação para melhor da face do mundo, de Portugal e dos Açores”.
Segundo o Secretário Regional, o Governo “está a apostar no combate ao abandono e ao insucesso escolares” de modo a que os alunos açorianos concluam o seu percurso académico no tempo próprio e feitas as devidas aprendizagens.
Salientou, de seguida, que se preparou um plano integrado de promoção do sucesso escolar denominado ProSucesso Açores pela Educação, assente numa “estratégia de intervenção a prazo, a um prazo de 10 anos”. Mas o êxito deste programa não depende “apenas do empenhamento do Governo”, mas também da comunidade açoriana.
No âmbito desta sessão solene, o Rotary Club da Horta, inserido no objecto do seu plano de actividades e no âmbito da promoção de valores fundamentais como o companheirismo, a amizade e a solidariedade, procedeu ao reconhecimento público e distinção de aluno “melhor companheiro”, eleição efetuada em cada uma das turmas do 12.º ano, cabendo a cada um dos alunos escolher os colegas por eles considerados “o melhor companheiro”.
Nesta sessão foi ainda prestada homenagem ao prof. Manuel Campos e feito um reconhecimento público aos autores da letra, ao compositor do hino da ESMA e ao Grupo Coral da Horta.