Estimativa orçamental do projeto de requalificação do Porto da Horta está a ser alvo de reavaliação, afirma Vítor Fraga

0
2

O Secretário Regional dos Transportes e Obras Públicas afirmou  que está a ser efetuada a “reavaliação da estimativa orçamental do projeto que foi apresentado”, estando também a ser avaliadas as sugestões que foram transmitidas pelo Presidente da Câmara Municipal da Horta, em devido tempo, à empresa Portos dos Açores.

Em declarações aos jornalistas após ter sido ouvido na Comissão de Economia do parlamento açoriano, Vítor Fraga adiantou que este “é um trabalho que está a ser desenvolvido, que quando estiver concluído, naturalmente que teremos condições para lançar novamente o concurso para a realização desta obra”.

“Só nos poderemos comprometer com datas de lançamento de concurso público quando a reavaliação da estimativa orçamental estiver concluída. Enquanto isso não acontecer, não nos poderemos comprometer, agora, desejamos que seja o mais rápido possível”, adiantou o Secretário Regional.

Vítor Fraga frisou, no entanto, que esta “é uma obra que se enquadra num vasto investimento que tem vindo a ser realizado no porto da Horta”, já que “nos últimos anos, mais precisamente desde 1999 até hoje, temos um investimento já realizado de cerca de 70 ME” neste porto.

Para o Secretário Regional, este foi “um investimento que é feito para dar resposta àquelas que são as reais necessidades das pessoas, não só com o terminal marítimo, que potenciou a escala de navios cruzeiros”, mas também “sobretudo dando melhores condições e dignificando todo o tráfego de passageiros que se verifica nas ilhas do triangulo, nomeadamente quer na linha azul, quer na linha verde e onde não nos podemos esquecer também de uma componente muito importante, que foi salvaguardada, que foi a dignificação do transporte de doentes entre as ilhas do Faial e do Pico”.

Vítor Fraga lembrou ainda que o investimento inicial previsto contempla três situações distintas: “uma parte que está afeta à Portos dos Açores, que tem a ver com o porto comercial, uma parte que está afeta à Direção Regional das Pescas, que tem a ver com o núcleo de pescas e uma parte que tem a ver com as empresas marítimo-turísticas, que é assumido pela Direção Regional do Turismo”.

O Secretário Regional foi ouvido na Comissão de Economia acerca do projeto que diz respeito à empresa Portos dos Açores “e que tem diretamente a ver com o saco do porto, garantindo assim, com esta obra, melhores condições de operacionalidade e melhores condições de segurança para todos aqueles que utilizam aquela infraestrutura”.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO