Faial recebe primeira Bureau Internacional da AREV nos Açores

0
49

Coube ao Faial receber a primeira reunião Bureau Internacional da Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV) nos Açores.

Este encontro decorre de 20 a 23 de novembro nas ilhas do Faial e Pico e conta com a presença de entidades de diversas nacionalidades.

A sessão de abertura deste encontro, decorreu na Sociedade Amor da Pátria, pela manhã de hoje, e contou com a presença do Secretário Regional da Agricultura e Ambiente, Luís Neto Viveiros, em representação do presidente do Governo Regional, do presidente da Câmara Municipal da Horta, José Leonardo Silva, do presidente da Comissão Vitivinícola Regional dos Açores, Paulo Machado, e do presidente da AREV, Jean-Paul Bachy.

A AREV, criada na Sicília em 1994, é uma associação que representa os interesses dos viticultores, e visa intervir junto de todas as instituições e instâncias encarregues das políticas vitivinícolas a nível europeu e mundial.Esta associação reúne, em pé de igualdade, os representantes das assembleias políticas e os profissionais das vinhas europeias, tendo como objetivo a promoção de uma viticultura de qualidade baseada nos seus territórios.

Muitos são os assuntos que dão mote a debate no seio da AREV, nomeadamente, a Viticultura ecológica, o Enoturismo, as Rotas europeias do vinho, a Viticultura em zonas difíceis, a proteção das denominações geográficas europeias, a harmonização das menções na rotulagem, a Organização Comum do Mercado Vitivinícola (OCM), temas sobre os quais a AREV também se tem pronunciado.

No seu discurso, Luís Neto Viveiros, relembrou os trabalhos e investimentos feitos no sentido de desenvolver e dinamizar os vinhos açorianos. Referiu ainda que daqui a três ou quatro anos se prevê que a área vitivinícola ronde os 350 hectares.

O secretário afirmou que os problemas que os agricultores vitivinícolas enfrentam são “inerentes à nossa realidade arquipelágica” considerando que “as condições climatéricas podem provocar consequências graves ao nível das quebras de produção”.

Jean-Paul Bachy frisou que organizar um evento da AREV nos Açores foi um grande passo, saudando o facto de poderem estar reunidas à volta da mesa todas aquelas nacionalidades.

O presidente da AREV relembrou as discussões entre a Europa e os Estados Unidos da América (EUA) a respeito do comércio livre.

A resolução aprovada por unanimidade no congresso em Remich, no Luxemburgo, denunciou o abusivo e o confisco pelos Estados Unidos, no seu próprio mercado, das apelações e denominações dos vinhos europeus e incitou os EUA à renúncia dessas práticas e ao respeito da originalidade dos procedimentos da viticultura europeia para promover as produções de vinhos mais sustentáveis e mais respeitosas do ambiente.

Os representantes das várias regiões vitícolas reunidos ao longo do dia de hoje seguem amanhã para a ilha do Pico onde, em conferência de imprensa, o presidente da AREV irá apresentar as conclusões da reunião, no Museu do Vinho na Madalena.

Nesta deslocação ao Pico os participantes vão visitar as regiões vitícolas da Candelária e da Criação Velha, as vinhas “Curral Atlantis” a Cooperativa Vitivinícola e o Centro de interpretação da Paisagem da Cultura da Vinha do Pico e depois regressam ao Faial.

No domingo visitam o Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos e encerram a sua visita aos Açores.


O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO