Governo dos Açores apoia criação de Lar Residencial em Santa Maria para suporte à pessoa com deficiência e às suas famílias

0
17
DR/GACS
DR/GACS

A Secretária Regional da Solidariedade Social afirmou que a criação de um Lar Residencial na ilha de Santa Maria, num investimento superior a 400 mil euros, é mais uma medida do Governo dos Açores para a inclusão de pessoas com deficiência e suporte às suas famílias.

Andreia Cardoso falava segunda-feira na apresentação do estudo prévio para a ampliação do edifício sede da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Porto para a criação de um Lar Residencial, um investimento que considerou de “extrema importância”, mas que não pretende substituir as respostas já existentes.

“Esta é uma resposta que visa criar a possibilidade do descanso de cuidador ou o acolhimento em permanência, permitindo, assim, atenuar as dificuldades que as famílias sentem relativamente ao futuro dos seus filhos, mas não pretende substituir as respostas ao domicílio, por exemplo”, frisou.

O Lar Residencial pretende ser um complemento ao Centro de Atividades Ocupacionais gerido pela Santa Casa da Misericórdia de Vila do Porto e destina-se a adultos e jovens com idade igual ou superior a 16 anos.

“A criação deste lar tem como objetivos disponibilizar apoio residencial temporário ou permanente, garantindo condições de bem-estar e qualidade de vida ajustadas às necessidades dos residentes, promover estratégias de reforço de autoestima, autonomia pessoal e social dos utentes, assim como privilegiar a interação com a família e comunidade, no sentido de integração social do utente”, disse a Secretária Regional.

A governante salientou ainda que o Governo dos Açores tem pautado a sua atuação por ir ao encontro das necessidades das pessoas e das famílias, na grande maioria expressas pelas instituições.

“Devido à sua proximidade e profundo conhecimento da realidade de Santa Maria, as instituições, como é o caso desta Santa Casa, têm sido e serão sempre os parceiros privilegiados do Governo dos Açores, pelo que estaremos sempre disponíveis para apoiar naquelas que se entendem ser as verdadeiras necessidades”, assegurou Andreia Cardoso.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO