JP/Açores não participa em encontro promovido pela JS/Açores

0
13
DR
DR

Tendo em conta o convite endereçado pela JS/Açores para participar num encontro, com vista à análise e ao debate acerca da anteproposta da Agenda para o Relançamento Social e Económico dos Açores, a JP/Açores entendeu o seguinte:

  1. A Agenda para o Relançamento Social e Económico dos Açores é uma iniciativa do Governo Regional dos Açores o que,no entender da JP/Açores, implica que o processo de auscultação às juventudes partidárias relativamente a este documento caberá, naturalmente, à Secretaria Regional e à Direção Regional que tutelam a área setorial da Juventude.
  2. Apesar de considerarmos manifestamente importante a análise e debate deste documento, tal como de todas as matérias que dizem respeito à juventude açoriana, entendemos que deveria ser o Governo Regional a liderar uma iniciativa desta natureza, não nos parecendo pertinente que seja a JS/Açores ou qualquer outra juventude partidária a assumir este papel.
  3. Entendemos ainda que os objetivos inerentes a esta aproximação da JS/Açores explicam-se – só pode – por puro tacticismo político, visto que se aproximam as eleições legislativas regionais. Esta é uma posição para açoriano ver e não para açoriano crer em absoluto. Não contribuiremos, pois, como agentes de propaganda socialista nem como patrocinadores da ação da JS/Açores.
  4. Por esta ordem de razões, agradecemos o convite realizado, mas não podemos, em boa consciência, aceitá-lo.
  5. A JP/Açores procura, na sua ação política, dar respostas aos anseios dos jovens açorianos, assumindo-se, muitas vezes, como a voz dos mais desprotegidos e vulneráveis da nossa sociedade.
  6. Para a JP/Açores é óbvio que o desenvolvimento económico e social das nossas ilhas é não só um objetivo desta juventude partidária, como representa um imperativo cívico, que move diariamente todos os jovens filiados nesta juventude partidária.
  7. A JP/Açores irá trabalhar afincadamente num conjunto de propostas que se possam traduzir em políticas públicas úteis ao futuro económico e social da nossa Região, analisando e debatendo previamente a anteproposta em causa. Iremos fazê-lo com zelo e empenho, em nome de todos os Açorianos e pelo futuro dos Açores. Esse é o nosso dever enquanto juventude partidária.

8. Caso o Governo Regional queira desencadear um processo de auscultação das juventudes partidárias existentes nos Açores estaremos, como sempre estivemos, disponíveis.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO