Governo dos Açores com mais de uma dezena de intervenções na orla costeira e em portos de pesca da ilha do Pico

0
23
DR/GACS
DR/GACS

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia adiantou que, decorreram ou estão em curso 11 intervenções na orla costeira e em portos de pesca decorrentes dos estragos provocados pelo furacão Lorenzo.

Gui Menezes frisou que algumas das intervenções são de “alguma complexidade e dimensão”, acrescentando que, no total, correspondem a cerca de cinco milhões de euros.

Segundo o governante, neste momento, está em fase de conclusão o projeto para a reparação do Porto de Pescas do Calhau, na freguesia da Candelária, num investimento de cerca de 450 mil euros, adiantando que “o concurso será lançado durante este mês de setembro”.

Relativamente à obra de proteção do molhe cais do Porto de Pescas da Calheta do Nesquim, o Secretário Regional referiu que o procedimento lançado em julho ficou deserto, sendo que, por isso, será efetuado um novo procedimento, no valor de 100 mil euros.

O Secretário Regional visitou o Porto de Pescas de Santa Cruz das Ribeiras, no concelho das Lajes do Pico, onde foram instaladas as redes técnicas de água e eletricidade para abastecimento às embarcações de pesca que ali operam de forma regular ou sazonal.

Gui Menezes frisou que este porto de pescas será alvo de “uma intervenção num investimento estimado superior a três milhões de euros, no âmbito do processo das obras de recuperação dos estragos causados pelo Lorenzo”.

Segundo o governante, neste momento, está a ser elaborado o projeto para a obra de consolidação daquele porto de pescas, que consistirá na reabilitação da proteção exterior existente, com reforço do extradorso e enraizamento do molhe.

Estão previstos ainda trabalhos de reformulação da retenção marginal interior do porto, de modo a melhorar a operacionalidade.

Questionado pelos jornalistas sobre os constrangimentos causados pelo Lorenzo aos pescadores do Pico, o Secretário Regional referiu o “caso particular” do Porto de Pescas de São João, que tem “um maior número de pescadores [comparativamente a outros portos de pesca da ilha]”.

“Houve danos na zona da oficina e nas casas de aprestos e a grua perdeu-se”, disse, acrescentando que a operacionalidade deste porto “ficou muito comprometida, mas felizmente vai ser recuperada em breve” com a instalação de uma nova grua.

Em execução ou em fase de lançamento estão ainda as obras no Pocinho, no Caminho do Lajido (Criação Velha), no Porto do Calhau, zona da Ana Clara (Candelária), Rua do Porto Novo, em São Mateus, no Porto das Baixas (São Caetano) e também as reparações nas infraestruturas de apoio do Porto de Pescas de São João.

Estão concluídas as intervenções nos portos de pescas de São Mateus e de São Caetano, bem como a obra de reparação da proteção costeira da Irmandade de São João.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO