Governo dos Açores desenvolve Campanha de Promoção de Eficiência Energética dedicada às escolas

0
19

A Diretora Regional da Energia adiantou hoje que o Governo dos Açores estabeleceu um prémio para as escolas açorianas com pontos de carregamento para veículos elétricos, através de uma Campanha de Promoção de Eficiência Energética dedicada às escolas, inserida na iniciativa ‘Prémio Eficiência Energética – Açores’, à semelhança do que já aconteceu com os empreendimentos turísticos, as empresas e a indústria da Região.

Estas campanhas pretendem promover uma efetiva gestão de consumos, contribuindo para a descarbonização da Região, por via da sensibilização, dinamização e disseminação de boas práticas de eficiência e de diversificação energética.

Os estabelecimentos escolares de ensino público, privado e cooperativo, incluindo escolas profissionais da Região, podem inscrever-se até 14 de outubro, em https://portaldaenergia.azores.gov.pt/portal/Eficiencia-Energetica/Campanhas-EEA, e habilitar-se a receber um ponto de carregamento de veículos elétricos e apoio técnico para a implementação das medidas de eficiência energética “com vista à redução da fatura energética e ao aumento do conforto de toda a comunidade escolar”, salientou Andreia Carreiro.

“Esta é uma oportunidade para que os estabelecimentos escolares reforcem a adoção de boas práticas em matéria de energia e sejam um verdadeiro demonstrador e exemplo a seguir”, disse a Diretora Regional, frisando que “os mais jovens, dotados de conhecimento e valores, são autênticos agentes de mudança, multiplicadores de informação em toda a sociedade, posicionando-se na linha da frente no combate às alterações climáticas”.

Andreia Carreiro abordou a importância destas temáticas estarem presentes no dia a dia das escolas e evidenciou as diversas iniciativas que têm sido realizadas nos Açores para a promoção da eficiência energética, como é exemplo o Manual ‘A Energia Viva da Terra’, que foi distribuído em todas as escolas dos Açores, chegando mais de 10 mil exemplares aos alunos dos 3.º, 4.º, 5.º e 6.º anos.

Destacou ainda o Programa Educativo de Eficiência Energética nas Escolas dos Açores – ‘As Aventuras da Dreni com a Lia, o Nicolau e a Estrelinha na Educação para a Eficiência Energética’ –, dirigido às crianças da educação pré-escolar e aos alunos do 1.º Ciclo do ensino básico, contando já com 82 sessões e mais de 1.745 participantes desde 2019.

A Diretora Regional fez também uma menção aos Encontros com a Eficiência Energética nas escolas, dedicados aos alunos do 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário, num total de 14 sessões até ao momento, acrescentando que, para além destas iniciativas, “estão em desenvolvimento novos projetos dirigidos aos mais novos com recurso à utilização de jogos didáticos para entretenimento e aprendizagem que tornarão as temáticas da energia e da ação climática cada vez mais apelativas”.

Os diretores regionais da Energia e da Educação visitaram hoje a Escola Básica e Secundária da Povoação, onde foi apresentada a Campanha de Promoção de Eficiência Energética.

O Diretor Regional da Educação afirmou que se promove junto dos alunos dos Açores o desenvolvimento, entre outros, de um dos princípios que norteiam o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, ou seja, a sustentabilidade.

Rodrigo Reis salientou que é preciso formar nos alunos a consciência das problemáticas ambientais atuais, levando-os a refletir sobre esses problemas e a formular propostas de resolução que passem por valências políticas, éticas e científicas.

Nesse sentido, destacou o papel destas dinâmicas no potenciar do espírito crítico dos alunos, da capacidade de resolverem problemas e das competências cívicas que devem desenvolver ao longo da escolaridade obrigatória.

“Só isto faz sentido na escola, dar ferramentas aos alunos para que cresçam sabedores, é certo, mas que apliquem esses saberes em diferentes contextos, por forma a que a sua ação tenha efeitos o mais possível permanentes na sociedade, no fundo para que construamos um mundo melhor para todos”, frisou.

“Os alunos que só sabem, mas que não sabem porque sabem, nem conseguem aplicar as aprendizagens em diversas situações académicas e da vida não são alunos do século XXI, não são alunos preparados para os desafios de hoje e de amanhã”, afirmou o Diretor Regional.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO