Governo dos Açores e SATA trabalham diariamente para “conseguir um percurso de estabilização da empresa”, garante Ana Cunha

0
54
DR

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas afirmou hoje, na Assembleia Legislativa, na Horta, que o Governo dos Açores assumiu o compromisso de “dotar o Grupo SATA dos instrumentos necessários ao cumprimento do seu objeto social de servir cada vez mais e melhor os Açorianos”, salientando este tem sido “um dos grandes desafios desta legislatura”.

Ana Cunha assegurou que o Governo dos Açores e a SATA trabalham diariamente para “conseguir um percurso de estabilização da empresa e da sua operação, perante adversidades de várias origens e natureza”.

Nesse trabalho, frisou Ana Cunha, “a SATA conta com a enorme mais valia que são os seus colaboradores, que, em terra e no ar, continuam, com empenho, dedicação e, muitas vezes, com o seu voluntarismo, a dar o seu melhor a favor da nossa companhia aérea”, acrescentando que “o que é importante é que a SATA continua a voar para os Açorianos”.

Na sua intervenção em plenário, a titular da pasta dos Transportes revelou que, de janeiro a agosto deste ano, foram realizados pela SATA Air Açores mais 376 voos do que em período homólogo do ano passado, foram oferecidos pela SATA Air Açores mais 132.340 lugares e utilizados mais de 28.900, adiantando ainda que, no que se refere à SATA Internacional, no mesmo período, foram efetuados mais 12 voos no total.

“Não menosprezemos a SATA. Não sejamos indiferentes ao seu serviço a favor da Região. Não desconsideremos, nem sejamos indiferentes, noutro nível, aos constrangimentos que afetam a acessibilidade de todos os Açorianos”, apelou a Secretária Regional.

“Preocupam-nos, sobremaneira, as dificuldades sentidas pelos residentes açorianos para sair das suas ilhas, quer seja nos voos interilhas, quer seja nos voos de ligação ao continente, em que a oferta de cinco ‘gateways’ e a operação de várias companhias aéreas em duas delas por vezes parecem insuficientes. Preocupam-nos e ditam a nossa ação”, afirmou Ana Cunha.

A Secretária Regional recordou, a propósito, que o transporte aéreo “sofreu uma revolução nos últimos anos, em particular e com caraterísticas muito próprias nos Açores, com um crescimento sem precedentes da procura e uma nova realidade de fluxos de tráfego”.

“Para além da aposta na realização de investimentos estruturantes nas infraestruturas aeroportuárias por parte do Governo dos Açores, a nossa transportadora é forçada a adaptar-se e é esta a realidade, é este o desafio e é esta a visão que temos para o Grupo SATA, com todas as particularidades que tornam esta companhia única no mundo na atualidade: uma companhia pequena, regional, com frota reduzida, com uma dependência extrema de serviços externos, mas com os melhores clientes do mundo, os Açorianos”, afirmou.

Na adequação a esta nova realidade, Ana Cunha destacou, “pela importância que reveste, o início do processo de revisão das obrigações de serviço público interilhas, que sustentam o contrato de concessão dos serviços de transporte regular de passageiros no interior da Região, em vigor até outubro do próximo ano, e que se pretende que traga mais capacidade, mais disponibilidade aos Açorianos de todas as ilhas”.

Para Ana Cunha, é importante ter em conta o facto de que “a SATA Air Açores tem seis aeronaves e a Internacional (Azores Airlines) tem outras seis”, salientando que “em agosto de cada ano há cerca de cinco vezes mais passageiros transportados do que em janeiro”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO