Governo Regional tem obrigação de ultrapassar os constrangimentos verificados no Aeroporto das Lajes

0
8
DR

O PSD/Terceira afirmou hoje que que a presença das forças militares portuguesas e norte-americanas na Base das Lajes “não pode continuar a servir de desculpa para a inoperância e para a incapacidade do Governo Regional e do Governo da República em ultrapassarem o impasse que se vive no Aeroporto das Lajes”, avançou a comissão política de ilha.

 

O vice presidente Rui Espínola referiu, nomeadamente, “a atratividade e o aumento das escalas técnicas, a captação de novas companhias aéreas e de novos fluxos turísticos, e a criação de novas valências para a Base das Lajes. Tudo matérias da exclusiva responsabilidade de ambas as governações socialistas”, disse.

 

Os social democratas frisam que a certificação civil da Base das Lajes “não parece ter resultado numa melhoria da operacionalidade no Aeroporto das Lajes, muito menos num aumento das escalas técnicas para a ilha, tal como prometido pelo Governo Regional”.

 

“Há uma clara perda de rentabilidade económica para a Terceira. O aeroporto continua a não ser atrativo em função das suas taxas aeroportuárias, da proibição do abastecimento dos aviões com passageiros a bordo e da indisponibilidade de operacionalidade a partir das 24 horas. E isso só depende do Governo Regional”, adiantam.

 

Por outro lado, criticam “a ausência de estratégia do executivo regional para o setor do turismo, patente nos constrangimentos aéreos para a Terceira e na ausência de promoção eficaz junto dos mercados externos”.

 

“Estamos a perder passageiros desembarcados em plena época alta, tendo menos dormidas na hotelaria tradicional e no alojamento local, o que compromete os investimentos atuais e futuros, com inteira responsabilidade do Governo Regional”, diz Rui Espínola.

 

O vice presidente do PSD local acrescenta que a procura de novas valências para a Base das Lajes “nunca passou das intenções”, por parte de um Governo da República “que olha para as Lajes como um ativo estratégico no contexto das negociações bilaterais Portugal-Estados Unidos, mas esquece-se de quem cá vive e da necessidade de ultrapassar alguns constrangimentos existentes ao nível económico, por via da potenciação da Base das Lajes no contexto nacional e internacional, da melhoria das acessibilidades aéreas e da captação de novas valências que permitam aproveitar e potenciar os espaços desocupados na Base das Lajes e oferecer maior rentabilidade económica à ilha Terceira e aos Açores. E isso só depende das vontades dos Governos da República e Regional”, afirma.

 

Face à constatação destes factos, o PSD/Terceira exige que o Governo Regional “elimine todos os constrangimentos que atualmente desincentivam as escalas técnicas no Aeroporto das Lajes, adotando taxas aeroportuárias atrativas, criando um protocolo com os bombeiros americanos que permita o abastecimento dos aviões em escala técnica, com os passageiros a bordo, e melhore a capacidade de resposta aeroportuária após as 24 horas”, defende Rui Espínola.

 

Os social democratas exigem ainda “maior firmeza com o Governo da República nas negociações bilaterais”, visando “novas valências para a Base das Lajes, que potenciem os espaços desocupados pelos norte-americanos, trazendo, com isso, mais capital económico para a Terceira e para Açores, referenciando-nos no contexto nacional e internacional”, conclui.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO