Há 40 anos no Distrito da Horta (8) – Açores Abril Autonomia

0
6

Com o devido agradecimento ao “Tribuna das Ilhas” e aos seus leitores, pelo acolhimento e pelo acompanhamento, termino hoje a publicação desta série de textos evocativos dos acontecimentos políticos de 1974 no ex-Distrito da Horta. 

E termino com um convite público para o lançamento do livro de que foram retirados os excertos em pré-publicação neste jornal, que tem lugar na próxima segunda-feira, 21 de abril, pelas 18 horas, no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regio-nal João José da Graça. A sessão inclui um breve debate, certamente interessante, com a participação de Fernando Faria Ribeiro e José António Martins Goulart, moderado pelo jornalista José Souto Gonçalves, para gravação integral da RDP/Açores.

Desta forma tenho o gosto de partilhar pessoalmente com os faialenses o primeiro volume de uma trilogia que homenageia tantas personalidades de todos os partidos que muito contribuíram ontem para o que somos hoje.

O pretexto inicial é a evocação dos 40 anos da Democracia em Portugal. O propósito final é a celebração dos 40 anos da Autonomia dos Açores. O resultado global é a trilogia editorial “Anos Decisivos”.

O volume I – 1974: Democracia… O 25 de Abril nos Açores (2014) – retrata a vida política açoriana de 25 de abril a 31 de dezembro, com os relatos diretos e as consequências imediatas da Revolução dos Cravos nos três Distritos Autónomos de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta.

O volume II – 1975: Independên-cia? O ‘verão quente’ nos Açores (2015) – reviverá a vida política açoriana de 1 de janeiro a 31 de dezembro, incluindo as movimentações independentistas que culminaram na manifestação popular do 6 de junho.

O volume III – 1976: Autonomia! O governo próprio dos Açores (2016) – reconstituirá a vida política açoriana de 1 de janeiro a 8 de setembro, com especial incidência na realização das primeiras eleições legislativas regionais, na instalação do parlamento regional e na posse do primeiro governo.

Da revolução nacional de 25 de abril de 1974 à governação regional de 8 de setembro de 1976, recordaremos assim os anos da democracia portuguesa que foram decisivos para a autonomia açoriana.

É disso que trata este projeto editorial de investigação jornalística.

No primeiro volume, como nos seguintes, assume-se como fonte exclusiva de informação documental, tão-somente, a imprensa açoriana – todos os sete jornais diários que então se publicavam nas capitais dos distritos autónomos de Ponta Delgada (Diário dos Açores, Correio dos Açores e Açores), Angra do Heroísmo (A União e Diário Insular) e Horta (O Telégrafo e Correio da Horta). Neste caso, foram consultadas todas as cerca de 1.400 edições publicadas entre 25 de abril e 31 de dezembro de 1974.

Com as suas limitações e contradições, mas também com as suas atenções e paixões, os jornais retratam bem as comunidades onde se inserem, como causa e consequência do sentimento coletivo.

Reconstituir a história pela fonte direta do relato jornalístico – quando a própria imprensa, em concorrência local, se encarrega de confirmar, complementar ou contrariar entre si a realidade vivida ou sentida – representa um duplo desafio. Possibilita um acompanhamento genuíno das ocorrências sociais e permite uma perceção interessante do tratamento distinto de diferentes jornais a eventos comuns.

Pelos olhos atentos da imprensa quotidiana, conhecemos e percebemos como tudo começou.

Estão todos convidados!

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO