Hospital da Horta pioneiro na Plataforma de Dados da Saúde

0
24

O Hospital da Horta é o primeiro hospital da Região Autónoma dos Açores a dispor da Plataforma de Dados da saúde, uma plataforma que visa agilizar a consulta do historial clinico dos utentes de e em qualquer unidade hospitalar ou centro de saúde da região e do país. 

A apresentação pública desta plataforma decorreu hoje no Hospital da Horta e contou com a presença do Secretário Regional da Saúde. 

“A instalação da PDS nas nove ilhas vai melhorar e reforçar a partilha de informação clínica entre as diferentes instituições de saúde açorianas, tornando possível também o acesso aos mesmos dados a todas as instituições nacionais utilizadoras da plataforma”, afirmou Luís Cabral no final da apresentação aos jornalistas. 

Qualquer médico passará a poder aceder à Plataforma de Dados da Saúde através do Portal do Profissional (PDS-PP) e consultar todos os dados de saúde dos utentes, designadamente historial clínico, prescrições, exames realizados anteriormente, mesmo em outras unidades de saúde, alergias do doente, no sentido de proporcionar um diagnóstico e uma terapêutica mais adequados e mais rápidos.

Esta funcionalidade vai permitir aceder aos dados clínicos de um utente dos Açores que tenha de recorrer a uma unidade de saúde do continente, como também de qualquer cidadão residente noutro ponto do país que esteja de visita aos Açores e necessite de recorrer aos hospitais ou centros de saúde em qualquer uma das ilhas.

O Hospital da Horta foi a primeira unidade de saúde a ter o sistema disponível, estando já a ser preparadas as necessárias ligações para que todos os hospitais e unidades de saúde fiquem ligados à plataforma.

Essa ligação está facilitada, uma vez que os novos sistemas informáticos instalados na maioria dos hospitais e centros de saúde é compatível com o sistema nacional.

“Um doente dos Açores que tenha que se deslocar ao continente não terá que duplicar, por exemplo, exames de diagnóstico, usando esta plataforma, porque em, qualquer lado do território nacional será possível consultar o seu historial.”

Entretanto, estão a ser ultimados os últimos pormenores para colocar em funcionamento também o servidor central de imagens que permitirá partilhar exames como TAC, Raio X. Este projeto está a ser elaborado desde o início do ano e prevê-se que a sua conclusão aconteça ainda durante 2013, bem como consequente entrada em funcionamento.

Esta plataforma implica que os profissionais de saúde, nomeadamente os médicos, registem todos os dados relativos aos pacientes. Até agora tem existido alguma dificuldade no preenchimento de alguns dados que são essenciais para esta plataforma, reconhece o secretário da tutela, que este será algo a ultrapassar em breve, “uma vez que a sua eficácia é bastante reconhecida.”

A PDS é um sistema informático assegurado pelos serviços partilhados do Ministério da Saúde (SPNS, que permite o registo e partilha de informação clínica, a profissionais e entidades prestadoras de serviços de saúde.

Os próprios cidadãos também poderão aceder à sua informação clínica, no Portal do Utente, através do Cartão do Cidadão e assim corrigir alguns dados menos corretos caso seja necessário. 

A questão da protecção dos dados foi também assegurada pela Secretaria, e Luís Filipe Cabral adianta que, “foi necessário, através da Comissão Nacional de Protecção de Dados ter a garantia clara de que esta informação não seria extravasada do contexto hospitalar.”

À margem da apresentação, o Secretário Regional da Saúde falou do incêndio que assolou o hospital e revelou que “foi pedido um relatório para aferir o valor dos estragos do sinistro de 22 de julho, no entanto, não houve uma interrupção da actividade clinica no hospital porque foram alugados os equipamentos que ficaram danificados.”

Luís Filipe adianta que esse aluguer vai continuar para garantir a continuidade dos exames. Está previsto o enquadramento dos montantes necessários para que o hospital tenha os seus equipamentos a funcionar