“Investir nos Açores” – Competir + já permitiu investir mais de 18 milhões de euros no Faial

0
43
TI

TI

A Ação de sensibilização sobre o tema “Investir nos Açores”, reuniu dezenas de empresários locais na Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça (BPARJJG).
De acordo com o diretor regional da DRAIC, Ricardo Medeiros, só âmbito do programa Competir +, já foram investidos cerca de 18 milhões de euros no Faial.

Na manhã de segunda-feira, decorreu no Auditório da BPARJJG uma ação de sensibilização destinada aos empresários locais que teve em vista a divulgação dos incentivos atualmente disponíveis.
A ação “Investir nos Açores” resulta de uma parceria entre o Governo dos Açores e a CRESAÇOR e contou com a presença de dezenas de comerciantes e empresários locais.
Na abertura da sessão, o diretor regional da DRAIC, Ricardo Medeiros considerou o programa desta ação “bastante rico”, uma vez que, visa esclarecer sobre “diversas situações do programa Capitalizar +” que foi recentemente apresentado pelo Vice-Presidente do Governo.
Ricardo Medeiros lembrou também que o “Competir + já leva três anos de existência”. Segundo o diretor nestes anos em que se encontra em funcionamento o programa “tem sido bastante concorrido”, divulgando que no âmbito deste programa “já foram apresentadas 860 candidaturas”, representando um investimento “potencial de mais de 367 milhões de euros. No seu entender, “numa Região dispersa e pequena como a nossa significa um valor bastante assinalável”.
Em relação ao Faial, o diretor avançou que também “tem registado uma forte procura do Competir +”.
“Neste momento posso indicar que os números apresentados nos últimos três anos já totalizam um investimento próximo dos 18 milhões euros o que face ao tecido empresarial local é de facto um valor bastante elevado”, considerou.
A este respeito, o diretor referiu ainda que à semelhança do que acontece nas outras ilhas “o sistema de fomento de apoio à exportação no Faial é também o mais concorrido, uma vez que maior parte das candidaturas se direcionam para este subsistema”, divulgou.
Ricardo Medeiros, garantiu que a Direção Regional desde a primeira hora está a acompanhar os projetos a implementar nível local e regional e tem disponível todo apoio necessário à apresentação das candidaturas.
“Temos um gabinete de informações, temos aqui também a delegação da Vice-presidência, que estão disponíveis para ajudar em matérias de preenchimento de formulários ou de duvidas relacionadas com a candidatura, nomeadamente em relação ao enquadramento”, disse.
Na ocasião, o Tribuna das Ilhas ouviu o Presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH) sobre a importância desta iniciativa.
Para Davide Marcos “estas iniciativas são sempre muito interessantes, tendo em conta que as empresas locais ainda vivem um período difícil apesar da retoma da economia”.
De acordo com o representante dos empresários, “há muitos sectores de atividade, que na ótica da CCIH precisam de apoio na área do investimento e do financiamento”.
Para Davide Marcos, “tudo o sejam políticas do Governo de apoio ao sector privado como são estas que foram aqui apresentadas são interessantes e fazem falta do ponto de vista dos empresários”, defendeu.
Relativamente a este assunto, o presidente da CCIH lamentou que estas iniciativas não se realizem tantas vezes nas ilhas de abrangência da CCIH como em outras ilhas da Região. “Pena é que em outras llhas vão acontecendo muitas mais iniciativas para o sector privado, mas nem sempre acontecem com a mesma regularidade nas ilhas de abrangência da CCIH-Faial, Pico, Flores e Corvo”, mostrando-se, no entanto esperançoso que a situação altere com a eleição do novo presidente do Conselho de Administração da SDEA. “Vamos acreditar que este paradigma seja alterado num futuro próximo”, reforçou.
Apesar de considerar que esta iniciativa foi positiva, Davide Marcos, entende que “se falou pouco do financiamento à economia e do novo produto Capitalizar + lançado recentemente pelo Executivo açoriano, que apenas tem por fim financiar as despesas não elegíveis para efeito das candidaturas Competir + e como tal só ajudará a resolver alguns problemas, mantendo a questão base, ou seja, uma vez que continuam haver muitas dificuldades no acesso ao credito bancário e à renovação das próprias linhas de credito para muitas empresas, especialmente aquelas que trabalham com os ditos grandes bancos que operam na RAA”, esclareceu.
O empresário garantiu que também a CCIH está disponível para ajudar os empresários e os comerciantes e que a sua prioridade é voltar a trazer os empresários para a instituição.
A este respeito o presidente da CCIH salientou que “no caso da CCIH infelizmente devido ao momento que viveu no passado recente, agora estamos numa fase de adaptação e de chamar os empresários para dentro em todos os sectores da CCHI e tudo o que for possível fazer vamos para dar seguimento às ideias e às iniciativas de cada empresário”.
Davide Marcos, mostrou-se ainda satisfeito com o número de empresários presentes e congratulou-se ainda com o facto de a sua maioria representar uma camada ainda jovem. “Tivemos uma sala cheia o que é muito positivo. Vejo aqui muita gente jovem o que é muito importante para a área empresarial e a CCIH está disponível para apoiá-los todos dentro das suas possibilidades”, concluiu.
O Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Compe-tir+, o Regime de Apoio ao Microcrédito Bancário, o Programa de Apoio à Revitalização das Lojas nos Centros Urbanos, os programas dirigidos a desempregados e os apoios à contratação foram os temas que estiveram nesta ação de sensibilização.
A iniciativa “Investir nos Açores”, para além da divulgação do Sistema de Incentivos ao Desenvolvimento do Artesanato dos Açores e da apresentação da Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores, envolveu também a apresentação de casos de negócio de sucesso na Região.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO