IPNLF reforça a rede de Membros da cadeia de abastecimento de atum do Atlântico

0
17
DR

Fundada em 1984, a Pão-do-Mar, tornou-se o mais recente membro do IPNLF. Esta associação representa fábricas locais de conservas de atum, nomeadamente a Santa Catarina, Cofaco, Corretora e Pesca tum nas ilhas açorianas de São Jorge, Pico, São Miguel e Terceira, respetivamente. Entre os seus membros, a Pão-do-Mar facilita uma cultura de cooperação e solidariedade e suporta o uso de equipamento e tecnologia avançada, bem como procedimentos eficazes para garantir os melhores padrões de qualidade e segurança pelas fábricas de conservas. Os membros procuram atum capturado com estas artes de pesca já que os produtos são de grande qualidade para forneceremos mercados da Europa e Estados Unidos. Estas fábricas de conservas também fornecem centenas de empregos para as populações locais, incluindo muitas mulheres.

A parceria entre o IPNLF e a Pão-do-Mar foi amplamente apoiada e promovida pela Direção Regional das Pescas (DRP), órgão do governo dos Açores que trabalha para garantir o desenvolvimento sustentável das pescarias, proteger o meio marinho e apoiar práticas de pesca responsáveis.
A Pão-do-Mar, sobre a sua adesão à IPNLF, afirma, que “há mais de 20 anos, que a Pão-do-Mar tem vindo a representar os interesses das nossas fábricas de conservas locais, para garantir que elas estão devidamente representadas e que os meios de subsistência e os valores culturais das comunidades ligadas a elas estão protegidos. Abraçamos a oportunidade de trabalhar com a IPNLF para internacionalizar as pescarias e os pescadores dos Açores “.
Adam Baske, o Diretor de Política e de Divulgação do IPNLF, salientou que, “estamos extremamente felizes em receber a Pão-do-Mar, nossa primeira associação de produtores, para a nossa crescente rede de Membros. Durante este ano passado, continuámos a reforçar o nosso compromisso com a pesca de atumcom salto-e-vara e linha de mão dos Açores e esta parceria destaca a crescente colaboração com as partes interessadas locais para reforçar e promover a pesca do atum altamente seletiva das ilhas”, disse.
“A pesca de atum dos Açores com salto-e-vara e linha de mão é parte fundamental da cultura e economia local e um exemplo brilhante dos benefícios que uma pescaria bem gerida e efetivamente monitorizada proporciona às comunidades piscatórias”, acrescenta Adam Baske.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO