JSD/Açores propõe rede de apoio a professores, pais e alunos

0
25

A JSD/Açores defendeu a criação de uma rede regional de apoio para professores, pais e alunos, “de forma a esclarecer dúvidas técnicas sobre o ensino à distância e assim minimizar as desigualdades do acesso à educação dos jovens açorianos”, explicou Flávio Soares, presidente da estrutura.

 

A proposta foi avançada na reunião da Comissão Política Regional da JSD/Açores do passado sábado.

 

“Têm-nos chegado relatos de professores e de estudantes que criticam o modelo adotado pelo Governo Regional”, começou por explicar o dirigente, afirmando que “nem todos os alunos têm meios técnicos para poderem estudar à distância e ao contrário daquilo que o Secretário Regional da Educação tem vindo a referir, ainda existem muitos alunos sem esses meios técnicos”.

 

“Passados oito dias do arranque do ensino à distância nos Açores, há ainda casas sem qualquer dispositivo tecnológico e sem ligação à internet, e há situações em que apenas existe um computador por família para ser partilhado por vários irmãos e por pais em regime de teletrabalho”, denunciou.

 

O presidente da juventude social democrata frisou ainda que “a plataforma do Sistema de Gestão Escolar (SGE) do Governo não está devidamente operacional e que os professores desesperam quando precisam de a usar porque está sempre a ter bloqueios”.

 

Para garantir a continuidade do acesso à educação, a JSD/Açores pretende que seja disponibilizado um sistema de ajuda através da “criação de um contacto telefónico e de um correio eletrónico onde possam ser respondidas e resolvidas as dúvidas dos destinatários sobre o modelo de ensino em vigor”.

 

“Facilitaria ainda a criação de um centro de assistência de resposta rápida, que funcionasse como chat para questões e dúvidas de resposta imediata”, acrescentou.

 

O líder da estrutura regional lembrou que “há alunos com exames nacionais marcados este ano e que o seu futuro depende das notas dessas avaliações”. “É, mais uma vez, a capacidade multitarefa, versátil e até criativa dos professores dos vários ciclos de ensino que tem garantido a continuidade da qualidade da educação na Região”.

 

Para Flávio Soares, fazer das juntas de freguesia o “elo de ligação entre as escolas e o Governo Regional pode representar uma solução rápida e eficiente para minimizar a desigualdade no acesso à educação”. “As juntas de freguesia poderiam, através de um contacto com a população, fazer o levantamento individual das várias realidades, reencaminhar a informação para o Governo Regional, para que este possa atuar de uma forma eficiente e equitativa”, explicou o líder da JSD/Açores.

 

“Estaríamos desta forma a usufruir dos claros benefícios da relação de proximidade entre as juntas de freguesias e a sociedade açoriana”, referiu.

 

“Parece-nos claro que Governo deve tomar uma postura resolutiva perante todas as falhas que têm sido apontadas pelos professores, pelos pais e pelos alunos, de modo a que o ensino à distância possa funcionar eficazmente, em vez do seu contrário, como temos assistido”, frisou Flávio Soares.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO