Juntas de Freguesia e IPSS são “parceiros preferenciais” de divulgação das políticas habitacionais do Governo dos Açores, afirma Diretor Regional

0
9
DR

O Diretor Regional da Habitação afirmou, em São Jorge, que as juntas de freguesia e as Instituições Particulares de Solidariedade Social são “parceiros privilegiados do Governo dos Açores na divulgação e implementação das políticas de habitação”.

“Estas entidades são um meio privilegiado de sinalização das situações que carecem de intervenção, identificando mais facilmente as moradias com maior necessidade de adaptação, não só pela relação de proximidade que têm com a população, mas também por conhecerem a realidade das suas localidades”, frisou Orlando Goulart, que concluiu hoje uma ronda de sessões de esclarecimento sobre os programas de apoio à habitação disponibilizados pelo Governo dos Açores.

O Diretor Regional destacou o programa que visa facilitar a mobilidade de idosos e pessoas com mobilidade reduzida dentro das suas habitações, através da eliminação de barreiras arquitetónicas.

Pretende-se com esta medida promover intervenções preventivas em 180 habitações em todo o arquipélago até ao final deste ano, por forma a tornar a casa um ambiente mais seguro e, assim, prevenir as quedas.

Este trabalho de sinalização visa, com pequenas intervenções, como a transformação de uma escada em rampa, a colocação de um corrimão ou a troca de uma banheira por um poliban, eliminar os pontos de risco de queda.

Acabar com as barreiras arquitetónicas é uma das medidas incluídas no I Plano de Ação Bianual 2018-2019 da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social, que pretende adequar as habitações das pessoas mais idosas e com mobilidade reduzida.

Estas sessões de esclarecimento foram especialmente dirigidas a membros dos executivos das juntas de freguesia, dirigentes das IPSS e outros membros de equipas que lidam diretamente com as famílias açorianas.

“Usar a rede de entidades mais próximas das populações é uma boa forma de divulgação dos programas habitacionais”, afirmou o Diretor Regional.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO