Lara Martinho apoia apelo lançado à UE para nos mantermos solidários enquanto europeus

0
6
DR

A deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, Lara Martinho, apoiou o apelo que vários deputados dos diferentes parlamentos europeus fizeram à União Europeia, “Juntos” (http://insieme-together.eu), no âmbito da pandemia do COVID-19.

No documento assinado pela vice-presidente da bancada socialista, os deputados sublinham que a forma de derrotar o vírus é mantendo-se solidários enquanto europeus: “Todos juntos temos a responsabilidade de impedir a propagação do vírus. Também juntos, podemos superar os desafios económicos colocados por esta crise, porque o vírus não conhece fronteiras e a nossa resposta também não deve ter”.

Sublinhando que em nenhum outro momento a Europa esteve tão bem equipada para fazer face a desafios como o que atualmente enfrentamos – graças às instituições globais em funcionamento, como a Organização Mundial de Saúde, as redes internacionais no campo da pesquisa e através da cooperação entre todos os campos e sistemas políticos -, o documento refere ainda a responsabilidade que, todos juntos, temos de impedir a propagação do vírus, “assumindo a responsabilidade um pelo outro enquanto cidadãos, colocando restrições nas nossas vidas diárias e, assim, protegendo os mais fracos entre nós”.

Também ao nível dos desafios económicos que surgem no âmbito da pandemia, referem ser um erro acreditar que os Estados-membros são capazes de enfrentar, com sucesso, os desafios globais se estiverem sozinhos.

Nesta matéria, e referindo-se à reunião em que os deputados socialistas, membros da Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, analisaram o papel da União Europeia na gestão da crise económica, social e sanitária, Lara Martinho reconheceu e saudou “o esforço das instituições europeias no reforço do setor da saúde pública em resposta à crise sanitária e o esforço de redução do impacto socioeconómico da pandemia na União Europeia”.

A deputada socialista apelou ainda à solidariedade e cooperação de todos os Estados-membros na procura de mecanismos de auxílio e soluções conjuntas mais robustas que permitam apoiar os países mais afetados pelas consequências sociais e económicas desta pandemia, sendo por isso fundamental que se encontrem “os meios para estruturar uma mutualização europeia da dívida, de forma a poupar os orçamentos nacionais ao endividamento”.

“Esta crise tem uma natureza totalmente distinta da crise económica e financeira internacional que atingiu o mundo a partir de 2008, e, por isso mesmo, precisa de uma resposta diferente, incompatível com a lógica dos resgates financeiros então adotados”, referiu a parlamentar.

Nesta reunião de acompanhamento da política externa no contexto da evolução da pandemia de COVID-19, esteve ainda em análise matérias como o apelo da ONU para o cessar fogo, a questão das fake news e da desinformação, a situação dos reclusos portugueses no estrangeiro, bem como a situação das comunidades.

Por: Partido Socialista dos Açores

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO