Leonardo recusa acusações de Ferreira e diz serem “alarmistas, irresponsáveis e demagógicas”

0
20

Alarmista, irresponsável e demagógicas. É desta forma que José
Leonardo Silva, Presidente da Câmara e recandidato pelo PS, reage às
declarações ontem proferidas pelo candidato da Coligação Carlos
Ferreira, relativamente ao parque de estacionamento da Rua de São
João.
“Carlos Ferreira mente quando refere que a informação que dispõe “é
que aquela infraestrutura não terá condições nunca para funcionar como
parque de estacionamento nem como outra coisa qualquer” porque sabe,
na verdade, que essa informação não foi sequer posta em causa do
ponto de vista técnico”, esclareceu José Leonardo Silva.
“Por isso, desafio-o a comprovar rapidamente todas as acusações e
considerações que fez sobre este assunto”, acrescentou José Leonardo
Silva, para quem “Não é admissível a um vereador da Câmara Municipal
proferir declarações desta natureza, sobretudo quando teve acesso
privilegiado ao relatório do Laboratório Regional de Engenharia Civil que
não põe em causa nada daquilo que ele diz”.

“O senhor candidato e vereador da Câmara tem responsabilidades
políticas e por essa razão tem ainda maior obrigação de ser honesto para
com os faialenses quando sabe perfeitamente que o que está em causa
para as deformações detetadas, segundo o Relatório do LREC, estará
relacionado com a espessura da laje de betão e não com a segurança
das fundações do edifício”, acusa José Leonardo Silva, que frisa: “estar
na política é falar verdade às pessoas e não andar apenas preocupado
com a caça ao voto em cima das eleições”.
Para José Leonardo Silva, “Como se não bastasse faltar às reuniões de
Câmara e passar ao lado da maioria dos assuntos tratados, tem ainda o
desplante de assustar as pessoas ameaçando demolir o que não
precisará certamente de ser demolido, e muito menos alarmar as
pessoas, ameaçando-as com perda de vidas, para ver se lhe dá mais
jeito na hora da contagem dos votos”.
“Se há alguém que se preocupa com a segurança das pessoas somos
nós que não aceitámos, como dono de obra, receber a obra nestas
condições. E mais: ordenámos de imediato a abertura de um inquérito, a
realização de uma auditoria independente e o apuramento das condições
da infraestrutura tendo em vista a retificação da laje”, explicou,
acrescentando que “para mim e para o PS não haverá julgamentos
apressados em praça pública porque em democracia, todas as partes
envolvidas têm e terão sempre direito à sua defesa assim como o erário
público, neste caso a Câmara Municipal, a ser ressarcida de eventuais
danos”.

“Mais uma vez Carlos Ferreira presta um mau serviço ao Faial e revela
falta de caráter quando diz “que é preciso saber o que aconteceu”
quando ele próprio, vereador da Câmara, teve todas as oportunidades de
questionar, consultar e acompanhar e, nessa altura, não sentiu
necessidade de o fazer”.

Horta, 21 de setembro de 2021.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO