Libertadas tartarugas que estiveram em recuperação no Aquário do Porto Pim

0
11

As três tartarugas-bobas (Caretta caretta) que se encontravam em recuperação no Aquário do Porto Pim, foram hoje libertadas em alto mar pelo diretor regional dos Assuntos do Mar, revelou fonte do executivo açoriano.

Na ocasião, Filipe Porteiro salientou que os animais foram encontrados “muito debilitados”, tendo sido transferidos para os tanques do Aquário de Porto Pim, uma infraestrutura especializada que tem como principal objetivo a recuperação de animais marinhos sensíveis. Aqui as tartarugas foram tratadas, alimentadas e monitorizadas, “encontrando-se agora em perfeitas condições para voltar ao seu habitat natural”, revelou o diretor.

Segundo a mesma fonte, “esta missão, enquadrada no projeto COSTA (Consolidating Sea Turtle Conservation in the Azores) e na RACA (Rede de Arrojamentos de Cetáceos e de outros Animais Marinhos dos Açores), foi levada a cabo pelo IMAR-DOP, em parceria com a Direção Regional dos Assuntos do Mar, o Observatório do Mar dos Açores, o Parque Natural da Ilha do Faial e a empresa Flying Sharks”.

Para o Diretor Regional, esta missão conjunta é “um bom exemplo da cooperação entre diferentes parceiros que partilham recursos humanos com um objetivo comum”.

As tartarugas marinhas são répteis classificados como ‘Espécies em Perigo’, encontrando-se protegidos desde 1979 pela Convenção de Berna, sendo que a tartaruga-boba é uma espécie considerada ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza e é prioritária na Rede Natura 2000, sendo também uma das espécies selecionadas para ajudar na Avaliação do Bom Estado Ambiental da Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM).

Aparelhos e redes de pesca perdidos ou abandonados constituem uma forte ameaça, sendo outra o lixo flutuante, nomeadamente os plásticos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO