Medidas de apoio social da Câmara de Ponta Delgada chegam a cerca de uma centena de famílias do concelho

0
18

As medidas de apoio social da Câmara Municipal de Ponta Delgada à população mais vulnerável do concelho já chegaram a cerca de uma centena de famílias e a uma média mensal de 60 pessoas em situação de exclusão.

Os dados foram apresentados pelo Vice-presidente da autarquia, Pedro Furtado, à Assembleia Municipal de Ponta Delgada, no período antes da ordem do dia, que decorreu esta quarta-feira, no Coliseu Micaelense.

Durante a apresentação do relatório da Divisão de Desenvolvimento Social à Assembleia, Pedro Furtado referiu que o Programa de Apoio à Habitação Degradada de Agregados Familiares Carenciados do concelho já ajudou 37 famílias em obras de reparação, conservação e ampliação de habitações degradadas, num investimento de cerca de 256 mil euros.

Já o Programa de Apoio ao Pagamento de Rendas Habitacionais, que ajuda agregados em situação de carência económica já apoiou este ano 42 famílias, num investimento de, aproximadamente, 36 mil euros.

Quanto ao projeto “Zero Desperdício”, desenvolvido desde 2016 numa parceria da autarquia com a Associação Seniores de São Miguel, tornou possível que, entre os meses de junho e agosto, 13 agregados familiares carenciados (48 pessoas) fossem apoiadas diariamente com refeições.

Neste projeto estão envolvidos 98 voluntários e foram recolhidos, nos meses acima referidos, 3.927 kg de alimentos.

Por outro lado, a Câmara Municipal já investiu mais de  114.550 euros nas despesas comparticipadas pelo Fundo Municipal de Solidariedade Social (pagamento de água, eletricidade e gás; aquisição e pagamento de géneros alimentícios; despesas escolares e despesas de saúde).

Entretanto, o Banco de Equipamentos Informáticos (BEI), criado pela Câmara para possibilitar aos alunos do 1.º ciclo do ensino básico do concelho o acesso ao material informático necessário à frequência do ensino à distância, abrangeu 73 estudantes.

O projeto de inclusão social da Câmara Municipal de Ponta Delgada “Casa dos Manaiais”, em junho, julho e agosto, apoiou uma média mensal de 60 utentes em situação de sem-abrigo ou vulnerabilidade social.

Durante este período conturbado em que vivemos, em consequência da pandemia Covid-19, os utentes da “Casa dos Manaias” viram assegurados, diariamente, os cuidados de higiene pessoal e tratamento do vestuário, alimentação, medicação, acompanhamento social e psiquiátrico, bem como o encaminhamento para uma resposta habitacional adequada às suas necessidades.

Os utentes da “Casa dos Manaias” retomaram gradualmente as suas atividades ocupacionais, nomeadamente, na limpeza, manutenção e restauro do canteiro junto à Praça 5 de Outubro; varredura da rua dos Manaias; apoio, duas vezes por semana, na limpeza do Jardim António Borges e no canteiro junto ao Teatro Micaelense.

Retomaram, ainda, a atividade na horta, onde procederam à limpeza do terreno e à construção de canteiros para cultivo, com recurso a paletes.

Refira-se que, ainda no período antes da ordem do dia, a Assembleia Municipal aprovou, por unanimidade, um voto de pesar apresentado pelo PSD pelo falecimento do comerciante e antigo atleta do Clube União Micaelense Durval Vasco Ferreira.

Por unanimidade, foi também aprovado um voto de saudação apresentado pelo PSD, pelos 40 anos da freguesia da Covoada.

Com uma abstenção, a Assembleia aprovou um voto de congratulação, também apresentado pelo PSD, pelo facto de Jaime Gama, antigo Presidente da Assembleia da República e antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros, ter sido distinguido com o Prémio Alumni 2020, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL).

Outro voto de congratulação, apresentado pelo PSD, à atleta Ivete Rodrigues, que se sagrou campeã nacional de Golfe, em sub 18 foi aprovado por unanimidade.

Também apresentado pelo PSD, o voto de congratulação, a Isabel Silva Melo, que venceu o Prémio Nacional de Artesanato, na Categoria Empreendedorismo e Novos Talentos foi aprovado por unanimidade.

Por maioria, com os votos favoráveis do PS, Bloco de Esquerda e Movimento Santa Clara Vida Nova e com os votos contra do PSD, foi aprovado um voto de protesto apresentado pela bancada municipal socialista contra a forma como a autarquia conduziu o processo concursal relativo à mobilidade em transporte urbano em Ponta Delgada (minibus).

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO