Natal

0
12

Se eu disser o que sei
Vão chamar-me ignorante
Tanto que eu trabalhei
O trabalho era importante

No trabalho peguei novo
Tanto tenho trabalhado
Agora que sou idoso
Por vezes sou maltratado

Quando vou pelo caminho
Me sentindo preocupado
Porque vou eu devagarinho
Mas não sou eu o culpado

Pois quando eu era novo
Andava mais apressado
Agora lá diz o povo
Olha o Caetano cambado

Mas nada posso fazer
Não gosto de ser assim
Deus é que tem o poder
É ele que manda em mim?

Sou um pobre desgraçado
Não tenho nada de meu
E não estou chateado
Tenho o que Deus me deu

Vou vivendo dia a dia
Nunca penso no futuro
Como diz a profecia
Ninguém se sente seguro

Estamos numa era
Não há por onde pegar
Os velhinhos à espera
Sem ter por quem chamar

Eu digo em brincadeira
Tenho uma solução
Levem-nos para a cadeia
E liguem-lhes a televisão

Desculpa pede o Caetano
Que vai mudar é de canal
Para os presos Bom Ano
E um bondoso Natal

Para todos Bom Natal
Que Deus a todos ajude
Isto é um bom sinal
Dinheiro, paz e saúde

O Caetano diz assim
Mas com todo o respeito
Sendo assim para mim
Fico muito satisfeito

Vou dar a terminação
Todos me vão perdoar
O meu velho coração
Agora anda a chatear

Já está muito cansado
Tantos anos a bater
Meu Deus obrigado
Tinha de te agradecer

Estou na reta final
À espera do Messias
Que não vem só no Natal
Anda cá todos os dias

Natal é no fim do mês
Diz o povo que é assim
Eu vou orar por vocês
E vocês rezem por mim

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO