No Faial o Natal ainda continua a ser uma tradição

0
14
TI

O Presidente da Câmara Municipal da Horta apresentou, na passada semana, aquilo que insiste em designar, desde há alguns anos a esta parte, como “Natal com Tradição”, anunciando um programa diversificado que convida os faialenses a visitar o centro da cidade e onde, diz ele expressamente, “se localiza o nosso maior centro comercial ao ar livre”.

Para fazer jus à manutenção daquele slogan, do género “em equipa que ganha não se mexe”, José Leonardo Silva anunciou a continuação do Concurso de Sopas, do concurso de presépios e altarinhos, da Aldeia do Pai Natal e a utilização da antiga iluminação nas principais artérias da cidade.
É, pois, por demais evidente que, nas palavras do autarca, ditas em ambiente pré-natalício, a tradição continua a ser o que era na ilha do Faial.
Daí que, enquanto uns apostam fortemente em cativar cada vez mais as famílias para o centro histórico, dotando-o de atrações e divertimentos, como acontece, por exemplo, com a cidade da Praia da Vitória que este ano aí instalou uma pista de gelo para o público, por aqui continuamos a oferecer mais do mesmo.
Não digo que não seja importante aconchegar o estômago numa noite fria com uma sopa quentinha como acontecerá no dia 08 de dezembro, que, por sinal, coincide com o Dia das Montras, mas o que farão os faialenses no resto da época natalícia? Que incentivos terão no centro da cidade para ali se deslocarem? O que os cativará a efetuar compras no nosso “maior centro comercial ao ar livre”?
Ao ouvirmos o autarca de Ponta Delgada dizer que este ano a iluminação será diferente e mais bonita, com um milhão de micro-lâmpadas de baixo consumo, ficamos espantados como a nossa cidade decidiu rumar em sentido oposto e manter a mesma iluminação de anos transatos, esquecendo que a aposta em iluminação diferente, renovada e moderna é sempre uma forma eficaz de atrair as famílias para vivenciar o espírito natalício, uma enorme contribuição para a dinamização do comércio local e poderá servir, também, para potenciar a ilha como destino turístico nesta altura do ano. Lá está, mas inovar não rima com tradição.
A exceção a esta regra há muito existente no Faial será um reforço da iluminação decorativa na zona do Largo Duque de Ávila e Bolama, uma das zonas mais nobres da nossa cidade, e que, no ano passado, teve muito pouca luz. Disso se lamentaram os comerciantes, com reflexos evidentes na sua atividade comercial nesta época que, para muitos, é considerada a mais importante do ano em termos de vendas.
Perante esta limitada visão do Município neste período festivo, de reunião e união das famílias, continua, no entanto, a faltar audácia em inovar e em introduzir incentivos e medidas novas que incutam no faialense o espírito que a época transmite, o desejo das crianças e adultos de se deslocarem ao centro da cidade para passear, visitar o comércio tradicional e nele efetuarem as suas compras de Natal.
Para isso, é fundamental que todos os anos haja um esforço no sentido de tornar o Natal mais cativante e, porque não, mais original. Por isso, aliemos a tradição à inovação, oferecendo à nossa cidade um novo brilho e cor para que todos, dos miúdos aos graúdos se possam envaidecer, e deixar-se contagiar pelo espírito natalício e viver também na cidade da Horta a magia do Natal. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO