Nomes próprios recolhidos na ilha Graciosa

0
28
TI
TI

De há muito que venho recolhendo, na ilha Graciosa, nomes próprios em desuso e que denotam origem arcaica, bíblica, toponímica e sobretudo brasileira (fenómeno de mimetismo cultural ocorrido, na “ilha branca”, entre finais do século XIX e primeiro quartel do século XX). Esta influência onomástica que nos chega via Brasil é uma característica original na Graciosa e única no contexto açoriano. De entre mais de um milhar desses nomes que recolhi, fiz a síntese que aqui vai e que constitui o “top” preferencial das minhas escolhas:

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO