O Prémio que o Partido Socialista deu a Ricardo Serrão Santos!

0
146
TI
TI

A empresa independente Vote Watch elaborou recentemente um estudo para um consórcio de meios de comunicação social portugueses em Bruxelas, com o intuito de uma avaliação dos eurodeputados portugueses
O objetivo do estudo era mostrar qual era o eurodeputado português com mais poder no parlamento europeu.
Mediu não só a participação de cada um, mas também a capacidade de moldar legislação, de ocupar posições de liderança e de construir redes de influência no Parlamento Europeu.
O estudo concluiu que, no âmbito dos 21 eurodeputados que Portugal elegeu, Ricardo Serrão Santos era o terceiro eurodeputado português mais influente.
O MEP Ranking, analisando atividades referentes a relatórios, declarações, funções e assiduidade, e atribuindo pontos de acordo com critérios quantitativos e qualitativos, concluiu que Ricardo Serrão Santos com 77,4 pontos, foi o 5.º eurodeputado português mais produtivo e assíduo, e no cômputo do Parlamento Europeu (751 eurodeputados), ocupou o 125.º lugar.
Numa reportagem feita pela SIC, em que se pediu aos eurodeputados portugueses que elegessem o colega que mais se distinguiu pela positiva e pela negativa, Ricardo Serrão Santos foi aquele que mais elogios recebeu.
Dizem os eurodeputados que é competente na área das pescas, capaz de ajudar os colegas e que foi um bom representante dos Açores.
Nomeado nos prémios do Parlamento Europeu para eurodeputado do ano para Agricultura e Pescas, Coordenador da Comissão das Pescas e pertencendo a um grupo de peritos responsável pela elaboração da proposta de planeamento da ciência dos oceanos para a década 2021-2030, o prémio final que Serrão Santos recebeu do Partido Socialista açoriano foi o de o mandar regressar aos Açores.
Apesar de todo aquele reconhecimento, Serrão Santos não recebeu a confiança de Vasco Cordeiro para ocupar o lugar dos Açores, lugar elegível, nas listas do Partido Socialista às eleições europeias de domingo. A escolha recaiu em André Bradford. O que, mais uma vez, nos mostra que, na política, é pouco relevante a competência ou o prestígio que granjeaste.
Com tantos elogios que demonstram bem a sua capacidade, o seu know how técnico-científico naquelas áreas sobejamente relevantes para a economia açoriana – Pescas e Mar – e a consequente capacidade de influência em Bruxelas, porque será que o Partido Socialista dos Açores preferiu, então, optar pelo jornalista e político André Bradford?
Provavelmente só Vasco Cordeiro saberá. Mas tudo aponta para que tal decisão esteja intimamente relacionada com a sua sucessão interna e com o futuro candidato a Presidente do Governo.
Que áreas caberão a Bradford no futuro Parlamento Europeu? Não poderão deixar de ser aquelas que tradicionalmente são fundamentais para os Açores. Mas, se for assim, que conhecimentos e experiência nas áreas, por exemplo, das pescas ou do mar, tem este para fazer valer junto dos seus pares as expetativas e os interesses açorianos?
Certamente não mais do que aqueles que tem Ricardo Serrão Santos. Então porquê mudar?
André Bradford terá os seus assessores para o auxiliarem na análise e tomada de decisão relativamente a matérias importantes para os Açores, mas a fasquia foi colocada bem alto. Terá, assim, uma árdua tarefa para atingir o patamar que o atual eurodeputado açoriano conseguiu junto dos parlamentares europeus e o prestigio que, dessa forma, alcançou para os Açores.
Ao longo destes últimos dois anos, Serrão Santos tem também sido colaborador deste jornal, pelo que, neste momento, agradecemos-lhe o facto de ter usado o nosso jornal para mostrar à opinião pública açoriana algum do trabalho que na Europa desenvolvia em prol dos Açores.
O Faial ficará certamente a ganhar com o seu regresso a casa, ao Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP), mas os Açores perderão, pois deixarão de contar em Bruxelas com uma das vozes mais preponderantes nas áreas da Pesca e das Ciências do Mar.
Por isso, a nós só nos resta dizer “obrigado Dr. Ricardo Serrão Santos”.

Nota: não se esqueça que, no próximo domingo, dia 26, há eleições europeias. Por isso, cumpra o seu dever cívico de votar.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO