Paulo Silva, visitou o aeroporto João Paulo II, onde observou a actividade que se desenvolve na tenda de controlo de COVID-19 à chegada a São Miguel

0
36
DR
DR

Preocupado com a situação delicada que se está a viver com o aparecimento de novos casos de infecção na ilha de S. Miguel, Paulo Silva sugere que “todos os passageiros que cheguem à Região, já venham com o teste realizado, e negativo”, acrescentando que “este teste seja efectuado, no máximo, no período de 24 horas, antes da partida”.

Para Paulo Silva, “é fundamental que a segurança da saúde pública dos Açores seja acautelada ao pormenor, eliminando ao máximo as possibilidades de entrada na Região de passageiros infectados”, sendo da maior importância que os “resultados desses testes sejam enviados por via digital, o que permitirá com o congestionamento e presença de muitos passageiros nas tendas instaladas no aeroporto”.

Mas, se é importante que os passageiros que vêm de fora da região, já venham testados, Paulo Silva considera que “não é menos importante, na situação atual, aplicar a obrigatoriedade de testes a todos os passageiros que queiram sair de São Miguel para as outras ilhas”, sendo que “o governo dos Açores também deve suportar os custos desses testes, tal como já o faz com os turistas”.

O líder do Partido Aliança Açores considera-se preocupado com a gravidade do que poderá acontecer com o aumento das infecções nos Açores, propondo que, para evitar grandes ajuntamentos de passageiros no aeroporto, que os horários de chegada dos voos possam ser espaçados”, acrescentando que “com grandes concentrações de passageiros, o seu controle, para além de mais moroso, é menos eficaz”.

Paulo Silva conclui que “se nós não agirmos já, a situação poderá ficar muito séria, e o nosso sistema de saúde correrá riscos que não queremos e estes só podem ser minimizados se tivermos todas as cautelas para evitar contaminações”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO