OKEANOS expõe efeitos da sobrepesca

0
19
blank
Wendel OKEANOS

Mariana Rovoredo

Cientistas do Grupo de Investigação em Avaliação de Recursos Pesqueiros
da Universidade dos Açores participaram numa reunião internacional, de 17 a 23 de junho no Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA), em Algés, que contou com 26 peritos de 10 países diferentes em representação de várias instituições de investigação internacionais.

Nesta reunião, organizada pelo Grupo de Trabalho de Peixes Elasmobrânquios (WGEF) do Comité de Aconselhamento do Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES/CIEM), foram avaliados 31 stocks de peixes elasmobrânquios no Oceano Atlântico Norte e Nordeste.

A Universidade dos Açores foi representada pelo investigador Régis Santos e pelo estudante de Doutora-mento Wendell Medeiros-Leal, que fazem parte do Grupo de Investigação em Avaliação de Recursos Pesqueiros (Azores Fisheries Research Group) do Instituto OKEANOS. Wendell Medei-ros-Leal, em nota de imprensa, explica que “os recursos pesqueiros não são ilimitados e a sobrepesca pode afetar a capacidade de reprodução das unidades populacionais. Caso não haja controlo sobre quem pesca o quê, algumas populações de peixes podem desaparecer ou as suas capturas podem deixar de ser economicamente viáveis.”

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura