Ordem dos Enfermeiros estuda dados do combate ao Covid19 nos Açores

0
14

Por: Ordem do Enfermeiros – Secção dos Açores

A Secção Regional da Ordem dos Enfermeiros nos Açores levou a cabo um questionário aos
Enfermeiros Açorianos no sentido de efetuar um levantamento das condições de trabalho no
contexto da atual pandemia pelo Covid-19, nomeadamente faltas de material e
equipamentos, os riscos ocupacionais mais comuns para a saúde e segurança dos
trabalhadores da saúde e as medidas para sua prevenção no contexto da atual pandemia
Covid-19.
Os dados recolhidos estão agora a ser trabalhados e destinam-se a fundamentar as posições
da Secção Regional da Região Autónoma dos Açores da Ordem dos Enfermeiros, no âmbito
da defesa da proteção da saúde e segurança dos Enfermeiros da região.
Para Pedro Soares, Presidente da Secção Regional, “esta foi uma oportunidade de
conhecermos de uma forma alargada a todas as ilhas, a real dimensão no terreno sobre as
condições a que os enfermeiros estiveram e estão sujeitos no cenário pandémico vivido na
Região.”
Os resultados de uma análise preliminar confirmam aquela que foi uma das grandes
preocupações da Secção Regional da Ordem dos Enfermeiros, “veem dar razão aquilo que
em Março alertávamos com muita preocupação referente à falta de EPI com cerca de 49%
dos Enfermeiros a referir que inicialmente não tinha disponível esses equipamentos ou parte
deles, sendo que deste grupo 69% indica que a maior falta foi de mascaras FP2, seguindos e a falta de proteção ocular”, afirma Pedro Soares.
Outros dados avançados prendem-se com o racionamento exagerado dos equipamentos,
onde 72% dos Enfermeiros referiu ter havido e 11% diz ter havido pressão para não utilizar
os EPI.
A Secção Regional da Ordem dos Enfermeiros está a estudar os dados e a preparar as
conclusões às respostas obtidas no questionário recolhido em todas as ilhas açorianas junto
dos enfermeiros. Com este trabalho será possível preparar o terreno, precavendo as
situações negativas que aconteceram, assim como promover a eficácia e eficiência no
cuidado às populações por parte dos Enfermeiros.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO