PADC manter-se-á vivo enquanto as pessoas quiserem

0
33

Terminou na passada semana a décima quinta edição do Projecto de Animação Desportiva e Cultural, organizado pela Câmara Municipal da Horta e Juntas de Freguesia, e com a colaboração do Professor João Castro.

Cerca de 3600 participantes, foi o balanço feito das semanas desportivas e culturais, que tiveram início nas freguesias em Fevereiro de 2010 e terminaram com a Semana de Encerramento, de 10 a 16 de Maio.

As actividades que preencheram o programa das semanas desportivo-culturais realizadas em cada freguesia constituíram um momento ímpar de dinamização e divulgação da nossa cultura que importa preservar e promover.

blank

 

 

Este percurso de década e meia de existência é um sinal de que o PADC tem bases sólidas e já está arreigado na vivência da comunidade. Principalmente os momentos culturais são normalmente um dos pontos altos das Semanas Desportivas e Culturais e uma oportunidade de excelência para os grupos e colectividades existentes – e alguns que se formam para o efeito, poderem apresentar-se em contexto favorável.   

Tribuna das Ilhas arregaçou as mangas e procurou as respostas junto de pessoas da comunidade e responsáveis políticos e governamentais. Não obtivemos feedback de muitas das pessoas que contactámos, mas aqui ficam os registos.   

Não perca tudo sobre o PADC na edição impressa de Tribuna das Ilhas, o seu semanário. 

Por lapso, na nossa edição impressa não publicámos a opinião de Paulo Oliveira.

Desde já pedimos desculpas ao visado e aos nossos leitores e reproduzimos aqui a opinião de Paulo Oliveira. 

 

Este é  um projecto consolidado, que, ao longo dos últimos 15 anos, tem vindo a fazer “obra”, ocupando uma grande parte da população, de forma saudável e cultural, na valorização das nossas tradições e trazendo um maior equilíbrio ao corpo e à mente de muitas pessoas. 

Foi pioneiro e importante, e releva-se aqui o trabalho da Delegação do INATEL, que tem sido “o corpo e a alma” deste Projecto, cuja raiz é de carácter complementar, como uma forma alternativa de lazer e lúdica, na ocupação dos tempos livres dos trabalhadores faialenses. 

A Câmara Municipal apanhou a “boleia” do INATEL, como agora apanha mais uma “boleia” da Câmara do Comercio, confundindo o alheio e acessório, com o essencial para o desenvolvimento do concelho, residindo aqui o busílis da questão: a falta de um modelo de desenvolvimento económico para o concelho da Horta. 

Actualmente, este Projecto sofre o grande risco de ficar refém de uma subsídio dependência, que, se por um lado depende do poder político, por outro lado auto sustenta-o, fielmente.

Há que romper com este ciclo viciante, que, a prazo, poderá empobrecer irreversivelmente este projecto, que se quer livre, anti-stress e saudável. 

Assim, é  importante que a Câmara se centre no seu projecto de desenvolvimento económico, para que liberte e deixe fluir o Projecto de Animação Desportiva e Cultural , pois ainda há muito a fazer, na defesa e valorização daquilo que é genuinamente nosso. 

Esta é  a minha interpretação e a sugestão que aqui deixo ao núcleo duro deste notável Projecto. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!