Padrões na Natureza e matemática juntos em livro

0
10
Foi lançado no passado dia 11 de outubro, em São Miguel, um caderno de atividades destinado ao pré-escolar e ao 1º ciclo do ensino básico, intitulado À Descoberta de Padrões na Natureza!, da editora Letras Lavadas, com a coordenação de Ricardo Cunha Teixeira, Faialense e professor do Departamento de Matemática da Universidade dos Açores.
De acordo com o professor universitário, este caderno de atividades promove uma primeira abordagem à exploração de padrões geométricos, “em que se recorre ao conceito de simetria, e de padrões numéricos, em que se explora a sucessão de Fibonacci e o número de Ouro.”
O público-alvo desta publicação é constituído preferencialmente por educadores de infância e por professores do 1.º Ciclo do Ensino Básico, mas poderá alargar-se naturalmente a pais e encarregados de educação que pretendam explorar padrões com os mais jovens.
Assim são apresentadas 30 atividades, descritas passo a passo, com as respetivas reportagens fotográficas, e três propostas de atividades de investigação, a desenvolver no âmbito de possíveis visitas de estudo.
Ricardo Teixeira revelou ao Tribuna das Ilhas que, “uma dessas propostas centra-se na exploração de padrões numéricos relacionados com a filotaxia das plantas endémicas dos Açores. A ideia surgiu de uma colaboração com o Jardim Botânico do Faial, no âmbito da escrita do artigo “À Procura de Fibonacci II”, publicado no Tribuna das Ilhas a 20 de setembro de 2013”.
 Este caderno de atividades tem ainda como co-autores Carla Machado, Lúcia Pontes, Melissa Garcia e Raquel Medeiros, sinergia que resultou a partir de um trabalho desenvolvido no âmbito da disciplina “Aplicações da Matemática”, do curso de licenciatura em Educação Básica da Universidade dos Açores.
“Todos os anos os meus alunos apresentam atividades muitos interessantes e apelativas para o público do Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico, que                resultam de um trabalho contínuo ao longo do semestre. Algum desse material está disponível online no endereço http://sites.uac.pt/mea/iniciativas/am”, revela Ricardo.
Questionado sobre os objetivos duma obra desta natureza, Ricardo Teixeira afirma que “o conceito de padrão, quando empregue no dia a dia, pode assumir diferentes significados. Em geral, está associado à identificação de algum tipo de regularidade. A Matemática, enquanto “ciência dos padrões”, fornece ferramentas que permitem classificar de forma rigorosa e exaustiva os padrões que encontramos, sejam eles numéricos, geométricos ou de outra natureza qualquer. Esta é a missão de um matemático: identificar regularidades para que, no meio da desordem e de um volume considerável de informação, se possa extrair algum tipo de invariância que conduza à caraterização das propriedades comuns aos diferentes casos analisados. Este aspeto estrutural a todo o edifício matemático deve ser tido em conta no Ensino da Matemática.”
“Em todas as culturas do mundo, incluindo as que remontam aos tempos pré-históricos, o ser humano desenvolveu uma compreensão intuitiva do conceito de simetria, interpretando-a como uma harmonia das proporções. Este tema deve ser introduzido no Pré-Escolar e aprofundado ao longo do percurso escolar do aluno. No caderno de atividades, trabalha-se de forma intuitiva os diferentes tipos de simetria, desde logo a simetria de reflexão. Explora-se também a simetria de rotação e de translação. Pretende-se, com isso, lançar as sementes para o aprofundamento deste tema no futuro. Exploram-se também padrões numéricos. Sendo a Natureza o tema foco do caderno de atividades, impõe-se uma primeira abordagem aos números de Fibonacci. Apresentam-se atividades que visam introduzir os termos da sucessão do Fibonacci e estimular a descoberta da lei de formação dessa sequência numérica. Faz-se também uma breve abordagem ao número de Ouro e exploram-se exemplos do dia a dia onde é possível “encontrar” este número – um número irracional aproximadamente igual a 1,618 que entusiasmou muitos matemáticos e artistas ao longo da  História.
Em suma, o caderno de atividades convida os jovens e os seus familiares a se transformarem em detetives à descoberta de padrões na Natureza”, concluiu.
Esta é uma edição sem qualquer apoio financeiro, pelo que as expetativas são de que “seja o primeiro de uma série de materiais pedagógicos de apoio, estruturados de acordo com um objetivo central: mostrar aos mais jovens a importância da Matemática na vida do dia a dia”.
Leia mais na edição impressa do Tribuna das Ilhas de 17 de outubro.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO