PAN/Açores – “Comportamento errático e pouco cooperativo” dão origem à retirada da confiança política a Hugo Rombeiro

0
36
DR

DR

O partido Pessoas-Animais-Natureza – PAN, decidiu retirar a confiança política ao deputado da Assembleia Municipal da Horta.
Segundo o partido a decisão foi tomada a 16 de março, por unanimidade, na reunião de Assembleia Geral que decorreu na cidade da Horta, na sequência de “vários alertas feitos ao comportamento errático e pouco cooperativo de Hugo Rombeiro”.

A estrutura regional nos Açores do PAN retirou a confiança política ao deputado municipal Hugo Rombeiro devido a várias situações ocorridas nos últimos cinco meses.
A decisão do partido prende-se com o “comportamento errático e pouco cooperativo” por parte do deputado na Assembleia Municipal, revelou Pedro Neves porta-voz do PAN nos Açores, num comunicado enviado às redações.
“O Autarca não queria assegurar a identidade e a coerência pretendidas, ficando mesmo comprometidos os princípios, missão e objetivos que regem o partido”, denunciou ainda o comissário político nacional e cocoordenador da Secretaria de Organização Interna do PAN.
Neste contexto Pedro Neves adiantou ainda que “foi decidido a 16 de março, por unanimidade, retirar a confiança política ao autarca Hugo Rombeiro”, uma vez que “o autarca demonstrou as suas verdadeiras intenções ao não abdicar de um cargo para o qual foi eleito com o programa e os valores do PAN”.
“Foram feitos vários alertas ao comportamento errático e pouco cooperativo da pessoa em questão, como pela sua voluntária inflexibilidade em trabalhar com os restantes membros da estrutura local e regional e de partilhar, inclusive, matéria discutida em sede de Assembleia Municipal. Foi sugerido e aconselhado que alterasse a sua conduta para em equipa, e em cooperação, melhor conseguisse responder ao decidido pelos filiados e filiadas da ilha, seguindo os aconselhamentos políticos da Estrutura Regional dos Açores”, revelou Pedro Neves para justificar a posição do partido.
No comunicado, o PAN/Açores ressalva que “a pessoa eleita, primeira candidata, e que teve a confiança dos eleitores do concelho da Horta, como a do PAN/Açores, Regina Santos, renunciou ao cargo de forma inesperada por força de motivos pessoais”.
Apesar de reconhecer que “a tomada de decisão foi difícil”, ainda mais sabendo que “o ex-filiado Hugo Rombeiro nunca iria renunciar a uma posição de poder” e de defender que o PAN/Açores sempre demostrou “a importância de ter uma representação autárquica forte e coesa no concelho da Horta”, Pedro Neves considerou que não era possível “estar a apoiar um autarca que se furtou de desenvolver ação política e social, junto com os seus pares, para concretizar um projeto local na ilha do Faial com a filosofia do partido”.
“Não estaríamos a cumprir o prometido para com os seus eleitores que se revêm na nova forma transparente e rigorosa de fazer política se não retirássemos a confiança política e clarificássemos os factos sobre o Hugo Rombeiro”, sustentou o porta-Voz do PAN/Açores, Pedro Neves.
“Os princípios do PAN estão acima de qualquer cargo, mesmo que se perca a representação pela desvirtuação e ambição de certos indivíduos com uma agenda pessoal”, esclareceu, garantindo a este respeito que “apesar do PAN ter perdido o cargo municipal”, continuará a “trabalhar, com os representantes do grupo do PAN/Açores no Faial, no sentido de concretizar as medidas do programa eleitoral do PAN em promessa aos faialenses usando as ferramentas ao seu dispor em um estado democrático”, lê-se no documento.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO