Pela sua Saúde – A botija de água quente!

0
8

Parece que voltou a entrar na moda! A crise, a diminuição dos gastos em electricidade para aquecimento, o inverno rigoroso, não só pela chuva mas, também, pelo frio que tem estado e que, diz a meteorologia, ainda está para vir…

 Mas a botija não só aquece como, também, alivia as dores

Pela sua ação local, a botija permite lutar contra a dor. Nos casos de dores nas costas ou dores de barriga a aplicação local daquele concentrado de calor na zona em sofrimento pode provocar um grande alívio.

O mesmo para as dores articulares, os torcicolos ou, mesmo, o stress.

Enfim, um alívio que se obtém por um custo quase irrisório, de fácil utilização e sem efeitos secundários.

Adaptar a temperatura para a noite graças à botija

Quando dormimos a atividade do nosso corpo diminui e a temperatura corporal desce um a dois graus centígrados.

Mas, paradoxalmente, para encontrar o sono, temos de nos sentir confortáveis sentindo, sobretudo, necessidade de manter as mãos e os pés quentes. Por isso, muitas vezes, aconchegamos as mãos debaixo da almofada, sob a nossa cabeça, e esfregamos os pés um no outro ou, quando é o caso, nos da companhia que adormece ao nosso lado.

Se as mãos se aquecem com relativa facilidade, os pés são mais problemáticos: às vezes então frios como o gelo, “em pedra”, e não há meias de lã ou outras ajudas que sejam suficientes para os aquecerem. E porque é que isto acontece? Devido a um mau retorno venoso, uma situação que afeta, principalmente, as mulheres. Os especialistas do sono sabem agora que este deficit de calor periférico pode, até, impedir o adormecimento.

Numa altura em que tantas pessoas sofrem de insónia, quem sabe a botija não poderá ser a resposta para a falta do sono?

Além do mais, ao usar a botija, pode desligar o aquecimento do quarto durante a noite, tornando o sono de mais qualidade e aliviando, de forma significativa, os custos de energia.

O bom uso da botija

Existem no mercado uma grande variedade de botijas.

Desde as clássicas, de borracha, em forma de almofada e que se enchem com água quente, às mais sofisticadas, com um acumulador de calor, que são aquecidas eletricamente.

Quando se prepara uma botija deve ter-se o cuidado de não colocar água muito quente, de a encher com atenção para não queimar os dedos e fechá-la com todo o cuidado e firmeza para que não haja derrame de água. Além disso, a botija deve ser revestida com uma coberta para evitar queimaduras e permitir que o calor se distribua de maneira mais uniforme.

Encontram-se, também, botijas com gel termo-ativo ou botijas químicas que atingem a temperatura de 50ºC sem necessidade de forno, banho-maria ou micro-ondas.

Existem as botijas ecológicas, à base de grãos de trigo, de caroços de cereja ou outro tipo de grãos… Estas botijas, muitas vezes, não são mais do que um pequeno saco de tecido com os diversos produtos no seu interior que têm ainda a vantagem de, ao serem aquecidas, exalarem um aroma agradável…

Chama-se a atenção para o aquecimento dos caroços e grãos com o micro-ondas pois este pode provocar calor em excesso e levar a uma autocombustão lenta dos materiais.

Também existem botijas elétricas que se ligam à corrente e desligam, automaticamente, quando atingem a temperatura pré-determinada. O acumulador de calor conserva a temperatura durante um bom par de horas e são muito seguros.

Ao comprar uma botija, seja de água quente, de gel, ecológica ou elétrica tenha atenção à qualidade dos materiais, ao modo de utilização e ao funcionamento… É que, anualmente, são inúmeros os casos de queimaduras associadas ao mau uso ou avaria destes utensílios.

Estes cuidados devem ser ainda mais importantes quando as botijas são usadas nos bebés e em crianças…

 

Fonte de informação: Julie Long

médico

E-mail: amaralmarques@gmail.com

Blog: https://amaralmarques@blogspot.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO