Povoação. Investimento do município a níveis inferiores a 2009

0
5

A vereadora do PSD na Câmara Municipal da Povoação, Cecília Correia, afirmou que o Orçamento do município para 2020 mantém níveis de investimento público inferiores a 2009, o que revela que o concelho “estagnou” na última década.

“À semelhança do que aconteceu logo em 2010, quando tomaram posse, a opção dos sucessivos executivos do Partido Socialista na última década foi sempre de aumentar a despesa corrente e reduzir consideravelmente o investimento público no concelho da Povoação”, afirmou a vereadora, na reunião do executivo que discutiu o Orçamento do município para o próximo ano.

Segundo a autarca social-democrata, que votou contra o Orçamento, “volvida uma década de governação socialista na Povoação, a opção pelo aumento da despesa corrente, ao invés de se apostar no investimento público, relevou-se trágica para o desenvolvimento do concelho”.

“Em 10 anos de gestão socialista o concelho estagnou. Não se apresentaram novos projetos, não se recorreu aos programas europeus de investimento, pararam os programas de reabilitação urbana, assistiu-se ao encerramento de empresas e negócios, aumentou a desertificação e criou-se uma dependência inusitada das nossas instituições e agremiações face ao Orçamento municipal”, sublinhou.

Para Cecília Correia, “é fundamental mudar de rumo e aumentar o investimento público, no mínimo, para os níveis de 2009”.

“Contrariamente ao que foi insistentemente propagado pelo PS, a falta de uma aposta no investimento público no concelho não resulta do passivo herdado da gestão do PSD. Mais de 50 por cento desse endividamento dizia respeito a dívidas herdadas da gestão do socialista Carlos Ávila, entre 1993 e 2001, como comprovam documentos oficiais”, frisou.

A vereadora do PSD na Câmara Municipal da Povoação acrescentou que “a contração do montante global do Orçamento tem, sobretudo, a ver com a inércia do executivo socialista na criação de projetos inovadores com recurso a fundos europeus, com a falta de ambição e com a inexistência de um plano de desenvolvimento integrado do concelho”.

“O Partido Socialista demitiu-se do desenvolvimento do concelho da Povoação quando entregou a sua quota dos programas comunitários ao Governo Regional e se limitou a utilizar o Orçamento municipal para gerir a dívida e a clientela”, afirmou.

Na reunião do executivo camarário foi ainda votada a criação da Taxa Turística para o município, que teve a oposição da vereadora social-democrata por considerar queesta decisão prejudica a economia da Povoação e só favorece os restantes concelhos da ilha.

“A aplicação da taxa encarece o preço do alojamento no concelho da Povoação, tornando-o menos competitivo relativamente aos demais, afasta investidores e trará dificuldades acrescidas aos empresários e investidores, fazendo com que seja mais vantajoso investir nos restantes concelhos de São Miguel”, salientou.

A vereadora do PSD lamentou ainda o facto da criação da Taxa Turística na Povoação “não ter sido precedida de qualquer contato ou entendimento prévio com os empresários e agentes económicos” do concelho.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO