Praia do Almoxarife – Sociedade Filarmónica Unânime Praiense comemorou 137 anos

0
179
DR

DR

Em sessão solene realizada na sua sede, a Sociedade Filarmónica Unânime Praiense celebrou 137 anos de existência, onde se homenagearam os músicos que celebraram as bodas de prata e de ouro ao serviço da Filarmónica.

Deu inicio à sessão solene o Presidente da Direção da Sociedade Filarmónica Unânime Praiense Daniel Silva que começou por salientar o facto de esta sociedade se manter “viva e dinâmica”, continuando a ter “um papel importante no seio da freguesia”, pois tem o dever de contribuir para a qualidade e preservação “da música, da cultura musical do Faial”.
“A Unânime Praiense com 137 anos é a prova de que a unidade das pessoas e o gosto pela música fazem com que o projeto e o objetivo que estiveram presentes na sua fundação se mantenham”, frisou o Presidente da Sociedade, lembrando os músicos da filarmónica sem os quais a mesma não tinha sentido existir.
Daniela Silva destacou de seguida os apoios que recebem – os colaboradores, a Comissão de Festas, as suas famílias, o Governo Regional e a Câmara Municipal da Horta, os quais “são fundamentais para que a Sociedade se mantenha”.
De acordo com o Presidente da Direção, o balanço do último ano “é positivo”, pois cumpriram “os compromissos ao nível das tocatas e gerindo a casa garantindo uma situação financeira estável”, salientando este “a aquisição de um fardamento novo e de um novo instrumental”.
Ao nível da formação destacou o 2.º estágio de verão que é uma aposta para manter.
Por último chamou a atenção para a sede da Filarmónica e da necessidade de realizar um profundo trabalho de manutenção, sobretudo em zonas de maior desgaste, como a cozinha, os caldeirões e as arrecadações, pois “são uma fonte de rendimento para a Sociedade”.
Foram depois homenageados os seguintes tocadores: Vitor Dias, com a Lira de Prata, em virtude de ter comemorado as bodas de prata musicais (25 anos), Mário Dias e José Mário Garcia com a Lira de Ouro, em virtude de comemorarem as bodas de ouro musicais (50 anos).
Posteriormente usou da palavra o Presidente da Junta de Freguesia da Praia do Almoxarife, João Neves lembrando que, neste ano, a freguesia está a comemorar os 300 anos do Voto do Senhor Santo Cristo e os 137 anos de vida da Sociedade Filarmónica Unânime Praiense, tendo sido ao longo da sua existência “os dirigentes, mestres e os músicos” os verdadeiros heróis, sem os quais estes anos de vida da Sociedade não seriam possível.
Chamou, depois, a atenção para o orgulho que é ter na freguesia esta Instituição, pois “leva o nome da freguesia a todo o lado por onde atua, dignificando e enaltecendo a nossa terra, tendo estado presente ao longo dos anos para a servir”.
Para a Vereadora da Câmara Municipal da Horta Ester Pereira trata-se de uma das instituições de maior referência da ilha, com a dinâmica que revela na concretização de diversos projetos passados 137 anos de vida. Lembrou depois o reforço dos apoios financeiros que o Município tem vindo a dar ao movimento associativo, desportivo e filantrópico.
Intervindo, a Diretora Regional do Turismo Cíntia Martins destacou a celebração de uma data – 137 anos – que representa “um exemplo de força de vontade e de perseverança das pessoas que desde a sua fundação até este dia conseguiram manter esta colectividade viva e dinâmica”, permitindo o enriquecimento cultural quer da freguesia da Praia do Almoxarife, quer da ilha do Faial.
Para a Diretora Regional as filarmónicas nos Açores contribuem para uma identidade cultural, e surgem como elementos indispensáveis na vida social, assegurando uma cada vez mais qualidade no seu desempenho.
Por fim, interveio o Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sociedade Filarmónica Unânime Praiense, Lúcio Rodrigues que deixou uma palavra de apreço aos homenageados, os quais fazem parte da história da Filarmónica, pois “as instituições fazem-se com pessoas”.
Agradeceu, também, a todos os elementos da direção, composta por “gente nova e que se chegou à frente quando foi preciso”.