Programa “FORM.AÇORES” com forte adesão das empresas

0
60
DR/GRA

O primeiro período de candidaturas ao programa “FORM.AÇORES” obteve uma forte adesão por parte das empresas e entidades formativas regionais, tendo sido aprovadas um total de 17 candidaturas, abrangendo 1.600 formandos, refletindo assim, a capacidade e o empenho dos empresários e das entidades formadoras em prol da qualificação profissional dos Açorianos.

Tendo em conta a grande procura, nesta primeira fase, o Secretário Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego do Governo dos Açores, Duarte Freitas, decidiu reforçar o montante financeiro previsto aumentando-o para 850 mil euros, também para fazer face às oito candidaturas, envolvendo mais de 40 formandos, na vertente consultoria.

Os planos de formação submetidos nesta fase distribuem-se pela ilha de São Miguel, Terceira, São Jorge, Pico e Faial e abrangem as mais diversas áreas como hotelaria e restauração, turismo e lazer, construção civil, comércio, indústrias transformadoras, assim como, metalurgia e metalomecânica, programa informático ou agricultura.

Recorde-se que o “FORM.AÇORES” destina-se à qualificação e formação profissional de trabalhadores no ativo e de desempregados inscritos no Centro de Qualificação e Emprego da Região.

O programa, criado pelo XIII Governo Regional dos Açores e que aproxima as escolas profissionais, entidades formadoras e as empresas, contempla um apoio específico para ações de consultoria e de formação à medida, destinadas a microempresas até 10 trabalhadores.

Esta é, pois, segundo o Executivo dos Açores, uma ferramenta potenciadora da formação ajustada às necessidades formativas de cada empresa, contemplando apoios financeiros dirigidos às entidades formadoras, aos formandos e às empresas.

O “FORM.AÇORES”, desenvolvido através de abordagens inovadoras, reflete uma clara aposta do Governo Regional numa qualificação profissional, que produza resultados efetivos na empregabilidade dos Açorianos e no reforço da competitividade das empresas Açorianas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO