Rendas de prédios rústicos vão permanecer inalteradas

0
65
DR

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas anunciou esta semana que não irá atualizar os valores indicativos das rendas de prédios rústicos atualmente em vigor.

A medida já se encontra publicada em Jornal Oficial e refere que os valores das rendas, no próximo ano agrícola 2017/2018, vão seguir os constantes do mapa anexo à Portaria de 4 de outubro de 2007.
De acordo com o Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GaCS), a decisão de manter os preços das rendas dos prédios rústicos tem em conta “a unanimidade dos pareceres recebidos por diversos parceiros sociais do setor”.
O valor máximo de renda de prédios rústicos por alqueire, equivalente a 968 metros quadrados, irá continuar a ser mais baixo nos terrenos em zona alta das Lajes das Flores, com um custo de 5,41€, enquanto o valor mais alto por alqueire continuará a ser na zona uma da Ribeira Grande, a 30,19€.
Por hectare, a renda máxima mais alta será na zona uma da Ribeira Grande, custando 311,51€, e a renda máxima mais baixa nos terrenos de pastagem alta na Madalena, com um custo de 45,49€ por hectare.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO