SATA quer dominar rota Lisboa-Horta-Lisboa

0
11

Os voos entre Lisboa-Horta e Horta-Lisboa podem sofrer alterações já no próximo mês de abril. Segundo Plano Estratégico do grupo SATA para o quinquénio 2015/2020 há um interesse por parte da transportadora aérea açoriana em reforçar o número de ligações realizadas na rota que une a capital legislativa do arquipélago com a capital portuguesa.

Atualmente apenas os voos das quartas feiras são operados pela SATA Internacional, futuramente com a denominação Azores Airlines, mas o grupo pretende que, ao abrigo das novas obrigações de serviço público inter ilhas agora a concurso, haja um aumento do número de ligações operadas pela SATA ao longo da semana.

Caso se concretize, este reforço materializa-se com uma ligação diária entre as terças feiras e as sextas feiras e uma ao domingo, durante o inverno IATA, período compreendido entre os meses de novembro e março. Durante os meses de abril, maio e setembro prevê-se mais um voo às terças feiras. No meses de verão, entre junho e setembro, as ligações ocorrerão a todos dias da semana, recebendo o Aeroporto da Horta, durante os meses de julho e agosto, dois voos da companhia às quartas feiras.

À semelhança do que acontece ao momento presente os voos terão partida de Lisboa pelas 08h00 do fuso horário de Portugal Continental e chegam ao Faial pelas 9h40 locais. O regresso à capital inicia-se às 10h30, hora dos Açores, com chegada a Lisboa pelas 13h30, hora local.

Apesar dos esforços para confirmação destas intenções junto da SATA o Tribuna das Ilhas não conseguiu obter qualquer resposta.

Por sua vez uma fonte da TAP, companhia que assume neste momento o controlo da maioria dos voos da rota em causa, prenunciou-se sobre esta intenção do grupo SATA de forma cautelosa.

O novo caderno de encargos, incluído nas novas obrigações de serviço público do transporte aéreo inter ilhas aprovado no dia 2 de fevereiro pelo Conselho de Governo regional dos Açores, está em fase de apreciação por parte da transportadora nacional. “ Têm de haver uma análise para se perceber se a rota é sustentável ou não. Como muita coisa mudou requer mais ponderação” salientou Alda Sousa, delegada da TAP nos Açores.

As candidaturas para controlar as diversas rotas não liberalizadas, ou seja todas as do arquipélago exceto Lajes e Ponta Delgada, serão apresentadas e posteriormente será o Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) a optar pela que entender ser a melhor proposta para cumprir os serviços e as obrigações impostas no novo modelo.

Só depois da conclusão do concurso e das deliberações por parte do INAC se poderá confirmar se o grupo SATA irá realmente tomar controlo da rota Lisboa-Horta-Lisboa.

As novas regras de transporte aéreo regular dentro da Região Autónoma dos Açores, rotas não liberalizadas assim como o caderno de encargos foram aprovados a 2 de fevereiro pelo Conselho de Governo regional em Praia da Vitória. Foi então autorizada a realização de um concurso público, sujeito a publicidade internacional, para a formalização de um contrato de concessão do serviço público por cinco anos, com 135 milhões de euros garantidos à companhia escolhida.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO