Sector do leite – João Ponte reúne com associação de agricultores

0
25
TI

O Secretário Regional da Agricultura e Floresta reuniu esta semana com a Direção da Jagrifa – Associação de Jovens Agricultores do Faial para analisar e avaliar o sector do leite da ilha.

Decorreu, na passada terça-feira, uma reunião entre o Secretário Regional da Agricultura e Floresta, João Ponte, e a Direção da Jagrifa com vista a debater os problemas da fileira do leite e de soluções para aumentar a produção de leite na ilha.
“Estivemos a fazer uma avaliação do setor do leite aqui na ilha do Faial e, naturalmente, a primeira conclusão importante que se tirou é que para garantir a sustentabilidade do setor leiteiro aqui na ilha do Faial é preciso que haja um aumento da produção do leite”, avançou João Ponte ao Tribuna das Ilhas.
O secretário explicou que “os atuais níveis de produção que andam por volta dos 12 milhões de litros por ano, não são suficientes para rentabilizar” a unidade fabril da ilha, a Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Faial.
O detentor da pasta da agricultura defende que os agricultores têm de “perceber que para garantir a sustentabilidade desde sector aqui na ilha do Faial” o seu contributo é fundamental e, por isso, têm de produzir mais leite e que a fábrica tem de “por um lado criar incentivos” e por outro “apostar e redirecionar para outro tipo de produto que não o queijo barra” admitindo que “muitas vezes é mais fácil dizer do que fazer”.
João Ponte salientou que “é nestes dois vetores que temos de atuar” porque apesar de produzirmos 12 milhões de litros de leite por ano, a região produziu mais de 611 milhões em 2017.
Para o governante, a fileira do leite é de grande “importância para a economia do Faial, desde a CALF pelos postos de trabalho que gera”, passando pelos próprios agricultores, por toda a “economia que gira à volta do sector leiteiro ao nível de fatores de produção, ao nível de pequenas empresas” e também pela exportação, lembrando também as ajudas económicas do POSEI e do PRORURAL+ que contribuem para as explorações.
Da parte do Governo temos acompanhado, temos apoiado, mas também nos cabe esse trabalho de sinalizar, de encontrar formas de encontrar caminhos e é isso que estamos a fazer com as associações e com a CALF”, rematou João Ponte.
Por sua vez, Hélder Silva da Jagrifa, afirmou que “os agricultores veem a fileira do leite como muito mal encaminhada” e que “estão desmotivados, a produção não cresce, está sempre mais ou menos estagnada” e que o facto de o preço do leite no Faial ser o mais baixo dos Açores os desmotiva ainda mais.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO