SESSÃO PLENÁRIA DE JULHO – “PS Açores esconde-se atrás da impunidade da sua maioria absoluta”, acusa BE/Açores

0
10

Foi através de uma declaração política, apresentada esta terça feira, na sessão plenária de julho, que está a decorrer na Horta, que a deputada do Bloco de Esquerda (BE), defendeu a existência de dois Partidos Socialistas: “um na Assembleia da República, que não tem maioria absoluta e por isso está obrigado ao diálogo, à negociação e à humildade democrática, e outro nos Açores, que se esconde atrás da sua impunidade transmitida pela maioria absoluta que tem”. Zuraida Soares, aproveitou a ocasião para apontar “os piores vícios da maioria absoluta que existe nos Açores”, afirmando que são eles, “a falta de rigor e transparência, o clientelismo e os favorecimentos nos concursos públicos para a administração regional. Na declaração política proferida, a líder do BE acusou o Governo Regional de “desbaratar dinheiro público a servir clientelas” e de “continuar a derramar dinheiro, para montar e manter rendas de empresas que mais não fazem do que parasitar os serviços públicos será, para alguns, um bom augúrio de vida, mas é, para a generalidade dos/as Açorianos/as, um verdadeiro desfalque”, afirmou. “A par do rentismo que favorece alguns, o BE denuncia também a existência de concursos públicos com ‘cartas marcadas’, no quais já se sabe quem entra e quem não entra”, lê-se numa nota enviada às redações pela representação parlamentar do BE, que refere ainda que “chamam-nos um partido de protesto! E fazem bem, porque protestamos contra a injustiça, o favoritismo e a prepotência. Dizem que lançamos atoardas! E fazem mal, porque as denúncias que fazemos têm protagonistas reais, a cores e ao vivo, para as confirmar”, salientou a deputada Segundo a mesma fonte, a bloquista apontou a implementação de verdadeiras políticas de esquerda, para dar resposta ao “desemprego, ao trabalho sem direitos, à falta de transparência na administração pública e às desigualdades sociais”, como o compromisso do BE para as próximas eleições regionais.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO