Sida e Leucemia Felina

0
18
TI

A Sida e a Leucemia Felina, conhecidas pelas siglas FIV e FeLV respectivamente, são duas doenças provocadas por retrovírus e que afectam mundialmente o gato doméstico.
Ambas as doenças transmitem-se exclusivamente entre gatos, não afectando outros animais ou humanos.

A transmissão é feita através das secreções do gato infectado, especialmente através de secreções oronasais e de mordeduras. No entanto, embora menos comum, a transmissão pode ocorrer através de outras secreções e de progenitoras para crias.

Uma vez infectado, o gato poderá manter-se sem qualquer tipo de sintomatologia durante meses ou até mesmo anos.
A sintomatologia é variável: perda de peso, mau aspecto geral do pêlo, infecções de pele e dos tratos respiratório e urinário recorrentes, alterações oftalmológicas, inflamações orais, diarreias, abortos e infertilidade nas fêmeas, aparecimento de tumores, entre outros.
Nenhuma das doenças tem cura. No entanto existe vacina contra FeLV.
O diagnóstico faz-se baseado no historial clínico e numa primeira abordagem através de um teste rápido sanguíneo.
Caso o gato esteja infectado com uma ou ambas as doenças não deverá estar em contacto com outros gatos saudáveis, devido ao elevado risco de contágio. Deverá ser esterilizado e mantido no interior de casa.
Deverá ser observado o seu comportamento e estado geral de saúde, uma vez que a sintomatologia pode despoletar-se a qualquer altura, sobretudo em situações de stress.
Se o gato adoecer, deverá ser levado de imediato ao Médico Veterinário, pois os animais com estas doenças têm um sistema imunitário debilitado, sendo assim mais difícil combater as infecções que surgem. Com o passar do tempo a doença evolui e as infecções tendem a tornar-se mais frequentes.
Caso tenha em casa um gato livre de FIV e FeLV e, queira adoptar outro, o novo gato deverá ser testado, sobretudo se for de origem desconhecida.
Para evitar que o seu gato seja infectado com alguma destas doenças, deve esterilizá-lo, mantê-lo no interior de casa, testá-lo e vaciná-lo.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO