Sociedade de Gestão Ambiental apresenta dívida de 6,3 ME

0
8

A Sociedade de Gestão Ambiental e Conservação da Natureza (Azorina), tem uma dívida bancária no valor de 6,3 milhões de euros revelou esta semana a presidente do conselho de administração, após uma audição na Comissão de Assuntos Parlamentares.

Em declarações à agência Lusa, Andrea Porteiro revelou que “o grosso desse valor tem a ver com o empréstimo que foi feito para aquisição de terrenos (nas Furnas) pela SPRA. (…) Herdámos o empréstimo, que está a ser pago”.
Este encontro que decorreu em Ponta Delgada, serviu também para recondução de Andrea Porteiro no cargo por mais três anos. Na ocasião, a presidente teve a oportunidade de esclarecer os deputados, revelando “que apesar dos resultados líquidos negativos da ordem dos 637 mil euros, a receita comercial tem vindo a crescer, fruto dos resultados alcançados nas bilheteiras, lojas e bares”.
A sociedade de gestão ambiental, cuja Região Autónoma dos Açores detém 100% do capital social, foi criada em 2010, conta com 112 funcionários e um património avaliado em 19 milhões de euros. É responsável pelos centros de interpretação ambiental nos Açores, ecotecas e parques naturais de ilha, tendo ainda a seu cargo a gestão de áreas protegidas e desde 2014 a fileira florestal.
Atualmente, a Azorina gere 16 centros de interpretação ambiental, dispersos pelas nove ilhas dos Açores, e conta este ano inaugurar mais três centros, alargando a sua rede para 19 espaços.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO