STFPSSRA diz que trabalhadores de matadouros são “desrespeitados”

0
125
blank
DR

Fonte: Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas

 

O Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas vem através deste comunicado denunciar publicamente o tratamento desrespeitoso que os trabalhadores dos Matadouros dos Açores estão a ser alvo.
Este sindicato no passado dia 19 de Setembro manifestou o seu desagrado ao Presidente da Comissão de Economia da ALRAA pela forma como esta Comissão diligenciou os pareceres e audições sobre o Projecto de Decreto Legislativo Regional que visa criar AGRIAZORES. Este sindicato lamentou não ter sido auscultado, considerando que a maioria dos trabalhadores afectados são nossos associados. Este é um projecto que
prejudica gravemente a situação laboral dos trabalhadores e foi opção da Comissão não ouvir aqueles que todos os dias trabalham nos locais propostos a extinção. É fundamental, para este sindicato, garantir e assegurar os direitos destes trabalhadores.
A agravar a situação destes trabalhadores, a Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural continua a tratar estes trabalhadores com silêncio. Relembramos que este sindicato em representação dos trabalhadores dos matadouros, seus associados, apresentou uma Proposta para as carreiras especiais dos matadouros da Rede Regional de Abate através do ofício 54/2022/H enviado a 13 de Abril de 2022 e recebido por esta secretaria a 14 de Abril de 2022, ao qual não obtemos qualquer resposta.
Passados os prazos legais para a resposta, este sindicato voltou a enviar um novo ofício 74/2022/H, este foi remetido a 18 de Maio de 2022 e recebido pela secretaria a 20 de Maio de 2022, ao qual passados 4 meses não obtivemos qualquer resposta. Este sindicato considera este silêncio um desrespeito por estes trabalhadores e pelas estruturas que os representam.
O STFPSSRA tem vindo a denunciar a atitude do Governo Regional em questões laborais, existe uma postura arrogante e discriminatória. O Governo Regional não aceita discutir e resolver os problemas com os quais os trabalhadores da região estão confrontados e pelos quais é responsável. Face a esta incapacidade, postura e falta de vontade, não resta alternativa aos trabalhadores da Administração Pública açoriana de lutarem pela
melhoria das suas condições trabalho e pelos seus direitos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!