“Temos que ensinar os alunos a pensar”

0
6

 

No âmbito do PEAS-Projecto de Educação Afectivo-Sexual da Escola Secundária Manuel de Arriaga esteve de visita ao Faial, Laborinho Lúcio para proferir duas conferências: uma direccionada aos alunos do Secundário e outra para professores, pais e encarregados de educação, sob o tema "Educar – Entre a Razão e a Emoção".

A plateia do auditório da ESMA não estava cheia mas tinha um bom número de pais, professores, profissionais de saúde e da área da intervenção social e alunos que, mesmo depois de terem participado na sessão do dia anterior, quiseram ouvir as palavras do palestrante.

Laborinho Lúcio começou por afirmar que é preciso educar entre a razão e a emoção e também alertou o público de que não tinha o intuito de apresentar verdades absolutas, mas sim de discutir algumas das suas próprias interrogações.

Em tom de conversa informar Laborinho começou por citar Sophia de Melo Breyner, “creio profundamente que só a arte é didáctica porque não explica mas implica”, para dar o mote àquilo que considera ser um apelo ao sujeito activo que, neste caso, deverá ser o aluno.

Leia o resto da reportagem na nossa edição impressa. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO