Um melhor 2016

0
8

 Terminado o ano de 2015, é agora o momento ideal para fazer o balanço do ano que agora passou.
Apesar de ser obviamente redutor colocar em duas páginas tudo aquilo que foi feito no ano transato, o Tribuna das Ilhas passa em revista, nesta edição, muito do que aconteceu na nossa terra nesse período. Cabe agora a cada um de nós, no âmbito da sua cidadania, concretizar a sua própria reflexão num sentido construtivo e animador para o ano vindouro.
Para mim, foi o ano em que a crise se entranhou mais um pouco na nossa sociedade.
Foi o ano em que perdemos a TAP e vimos a SATA reduzir o número de voos para o Faial, principalmente no inverno, tendo emendado a mão tardiamente e de forma insuficiente.
Foi o ano em que tivemos mais navios de cruzeiro no Faial e, consequentemente, o ano em que vimos muitos navios a não serem capazes de atracar devido às condições meteorológicas e à incapacidade das infraestruturas portuárias, tendo o ano terminado com a fuga de um navio de grandes dimensões para a Terceira para descontento do nosso comércio.
Foi o ano do “nada de especial”, o ano dos projetos e concursos mas sem nenhuma concretização de encher o olho, aparte de pequenos arranjos, mas nenhuma obra de grande alcance. Essas ainda estão no papel. Garantidamente 2016 será melhor, não fosse este ano de eleições regionais. Apesar do pouco peso eleitoral do Faial, no âmbito do arquipélago, pode ser que caia algo do céu e não apenas a primeira pedra.
Certamente alguém afirmará, de plena convicção, que os Açores estão em crescimento e que a aposta no turismo foi uma aposta ganha. E terá razão, se for daqueles que entendem que os Açores se resumem à Ilha de S. Miguel. O Faial até pode ter crescido em número de turistas mas foi menos do que aquilo que merecia ou precisava.
Foi um ano com baixos mais intensos que os altos. Sinto alguma negatividade pelo ano que passou e principalmente por ter continuado a haver alguma desvalorização pela nossa terra. Falar das coisas boas que aconteceram é importante, mas julgo que mais do que elogios é importante informar, sensibilizar e contribuir para corrigir o que correu menos bem. É este o voto que faço para 2016.
Apesar de tudo o ano terminou da melhor maneira, com fogo de artifício e uma festa bem animada no parque da alagoa alegrando o espírito dos faialenses.
No rescaldo do ano novo, desejamos a todos um 2016 melhor do que foi 2015.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO