Uma palete de cimento sff. Pode mandar mesmo por e-mail!

0
22
TI

 A propósito da última polémica sobre as alegadas ingerências na Unidade de Saúde da Ilha do Pico (USIP), julgo pertinente deixar aqui algumas considerações.

Querendo a oposição querer trazer a uma audição o anterior conselho de administração (CA) da USIP, o partido do Governo inviabilizou essa pretensão. Tendo a oposição ouvido esse CA a revelia da assembleia, André Bradford, líder parlamentar dos socialistas disse que era um “desrespeito pela autonomia e pelos Açorianos” que, segundo ele, “mandataram o Partido Socialista (PS)”, neste caso para não ouvir estes indivíduos!
Não me lembro de ter visto em nenhum manifesto eleitoral do PS alguma coisa do género – “sempre que for incómodo para o governo ou para o partido, não auscultaremos os envolvidos.” 
Ao votar no partido A ou B não estamos a dar carta branca a estes eleitos!
Após estas declarações, foi tornado público o conteúdo do correio electrónico trocado entre o CA da USIP e o deputado Miguel Costa. Resumidamente, o propósito da troca de correspondência era o apelo à condescendência do CA para com os funcionários que não iam trabalhar na USIP por causa de trabalho autárquico, e que esta unidade não cobrasse às autarquias o valor dessas horas despendidas a favor das mesmas e não daquela unidade. Na resposta do CA é envolvido o Sr. Secretário Regional da Saúde, que por lei ordinária (leia-se, e-mail), suspende a aplicação de uma lei nacional.
O que mais me impressiona nestas novelas é o facto de a população em geral, e nomeadamente a do Pico, achar que não há mal nenhum nestas intromissões de políticos na gestão de organismos públicos. Ouvi dizer coisas como, “todos fazem isto, e este pelo menos é pela nossa terra”. É exactamente o mesmo que se passa quando ouvimos dizer que nesta altura é só pedir uns sacos de cimento e uns baldes de tinta para arranjar a casinha que eles lá aparecem, mesmo que o passeio em frente esteja todo esburacado pela falta de verba para a compra, lá está, de cimento. É também a sociedade que avaliza estes comportamentos quando pede para si e não para a sua comunidade. Como não consigo combater esta situação até me apetece dizer – “venham lá esses sacos de cimento que eu arranjo já um comprador para eles!” quanto ao voto, esse como é secreto , não irá premiar quem é mãos largas com o dinheiro dos outros e usa como critério a obscuridade dos seus interesses.
Voltando a Miguel Costa, o deputado do PS eleito pelo Pico e Faial, tendo em conta que é a ele que são dadas as despesas da defesa do Faial quando algum assunto do interesse da nossa ilha é levantado na ALRAA. Na posição de presidente da comissão parlamentar de economia, e vendo que o deputado da CDU eleito pelo circulo das Flores estava alinhado com o “ataque” ao Governo acerca das alegadas ingerências na USIP, e tendo marcada uma reunião da comissão que preside para a ilha das Flores, decidiu ligar pela rede interna do hemiciclo a este deputado e informá-lo que a reunião que era para ser lá já não seria… Este episódio está mais ou menos à altura daquele colega, que todos tivemos, que era o dono da bola e quando não era marcada a penalidade a seu favor decidia então ir para casa, levar a bola e acabar com a brincadeira.
Entretanto a comissão lá reuniu, nas Flores, mas sem a devida representação do equilíbrio de forças existente na ALRAA. Embora legal, não deixa de ser eticamente questionável a validade de uma comissão que mais não é do que um subgrupo do grupo parlamentar do PS. Não deixa de ser moralmente questionável o facto de os restantes membros da não estarem presentes, não por indisponibilidade, mas por estar em causa a credibilidade politica do presidente dessa comissão. Não deixa de ser confrangedor ver a senhora presidente da ALRAA escudar-se numa interpretação jurídica do regimento para não deixar cair um dos seus.
Ora, este senhor é daqueles que pertence a uma geração que quando despontou para a vida activa enveredou pela politica num partido do poder, e então julga que tudo é seu e está ao seu dispor, porque foi assim que sempre viveu em politica, e que o facto de ter um e-mail @azores.gov.pt ou @alra.pt lhe dá o direito de usar a rede de contactos destes servidores para convocar pessoas para as suas reuniões da tupperware…

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO