Utilização de Fundos Comunitários permitiu criar oferta e atividade comercial que não existia nos Açores

0
14

O candidato do PS/Açores às eleições Europeias do próximo domingo, 26 de maio, defendeu esta quinta-feira, que a utilização de Fundos Comunitários permitiu “criar um tipo de oferta e de atividade comercial que não tínhamos na Região”, uma situação para a qual “apenas um eurodeputado Açoriano tem sensibilidade”.
André Bradford falava à margem da visita à empresa Fat Tuna, Comércio de Peixe, LDA, em Rabo de Peixe, Ribeira Grande.
“Esta empresa constituiu um ótimo exemplo do que se pode fazer na valorização da nossa matéria-prima”, referiu o candidato Socialista, acrescentando ainda que, “ao invés de trabalharmos pela quantidade devemos concentrar-nos na forma de adicionar valor e trabalhar pela qualidade”.
“A Fat Tuna dedica-se a comprar peixe dos Açores, a trabalhá-lo, desde a captura de uma determinada forma, com processos de tratamento do peixe e congelamento, que são específicos e que adicionam valor” seguindo depois para mercados “que procuram determinadas características no peixe, que procuram trabalhá-los em termos de restauração, e estão disponíveis para pagar muito mais do que pagará um consumidor normal, desde que lhes garanta um determinado padrão de qualidade e tratamento da matéria-prima”.
Para o candidato do PS/Açores é esta “a mensagem que se deve passar para outras áreas de atividade e outros setores da Região”, sendo este um exemplo de utilização de Fundos Comunitários que “permitiu criar um tipo de oferta e de atividade comercial que não tínhamos na Região”.
Para André Bradford, “este é um bom exemplo do que se pode fazer também ao nível dos laticínios, onde nós temos uma produção e uma matéria-prima, o leite, de reconhecido valor, mas onde é preciso trabalhar as fases seguintes de modo a que ele encontre os tais mercados que valorizam a qualidade, que pagam mais pelos produtos e que a indústria encontre formas de valorizar aquilo que nós temos, como produto emblemático da Região Autónoma dos Açores”.
“Este é o tipo de situações para as quais apenas um eurodeputado originário dos Açores tem sensibilidade e é por isso que no próximo domingo, 26 de maio, é preciso ir às urnas, votar no Partido Socialista (PS), para ir dar força à Voz dos Açores na Europa”, concretizou André Bradford.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO