Vasco Cordeiro inicia visita oficial que pretende “dar atualidade” à relação entre os Açores e a Bermuda

0
14
DR

O Presidente do Governo iniciou hoje uma visita oficial de quatro dias à Bermuda, que pretende não apenas a “celebrar o passado”, mas também “dar atualidade” a esta relação entre os Açores e um território que tem sido destino da emigração açoriana desde meados do século XIX.

“Ao longo destes dias teremos oportunidade de abordar, de forma detalhada, formas de dar atualidade a esta relação entre os Açores e a Bermuda”, afirmou Vasco Cordeiro, após o encontro que manteve com o Governador John Rankin, o primeiro ponto da agenda desta deslocação oficial.

Além de diversos encontros institucionais, o Presidente do Governo participará, a convite do Premier Edward David Burt, nas comemorações do 170.º aniversário da chegada dos primeiros imigrantes portugueses àquele território.

Em declarações aos jornalistas, Vasco Cordeiro considerou que esta relação entre os dois territórios atlânticos apresenta uma componente muito importante de “celebrar o passado”, mas deve, simultaneamente, abordar em conjunto alguns desafios que são comuns aos Açores e às Bermudas, apontando o exemplo do combate às alterações climáticas.

Além disso, o encontro de Vasco Cordeiro com John Rankin permitiu salientar que a razão desta visita oficial “ancora-se, forma muito clara, naquele que é um percurso de muitos Açorianos para a Bermuda, que, ao procurarem melhores condições de vida, contribuíram de forma decisiva para o progresso e para o desenvolvimento deste território”.

Esta é a primeira deslocação oficial de Vasco Cordeiro à Bermuda, um território ultramarino britânico situado no Atlântico Norte.

Estima-se que cerca de 20 a 25 por cento da população da Bermuda seja descendente de portugueses, dos quais 90 por cento de origem açoriana.

À chegada ao aeroporto, onde foi recebido por muitos emigrantes, Vasco Cordeiro salientou que esta foi uma receção que “entusiasma para estes dias da visita”, uma oportunidade de “contactar, não apenas com as nossas comunidades, mas também com o Governo da Bermuda e, por esta via, fortalecer as relações entre os dois territórios”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO