A CAÇA AO VOTO

0
10

Abriu oficialmente a nova época de caça ao voto!
Como eu aqui vaticinara há alguns meses, o Governo Regional e o partido político que o suporta já estão em campanha eleitoral para as eleições regionais de Outubro próximo. Ao fim de vinte anos no poder, os socialistas e a sua máquina de propaganda tornaram-se previsíveis. O truque é, como já escrevi, o mesmo de sempre: no ano das eleições, começam-se umas obras, anunciam-se uns concursos, lançam-se umas primeiras pedras e faz-se de conta que as promessas feitas (e não concretizadas em quatro anos!) agora é que vão avançar.
E para tornar a coisa mais credível, chamam-se os jornalistas e uns convidados, fazem-se umas encenações, discursa-se, fala-se de projetos e dá-se a entender que são obras, anunciam-se prazos, garantem-se procedimentos, mostram-se umas maquetas todas jeitosas ou uns desenhos a cores e em três dimensões, enfim, o habitual!
Aqui, no Faial, se o Governo tivesse cumprido as promessas que fez aos Faialenses estava em plena época de inaugurações. Mas como não cumpriu nem cumprirá a grande maioria dos investimentos que há quatro anos prometeu, então lançou-se na tarefa costumeira: anunciar que vai começar a fazer nos próximos meses aquilo que não fez nos últimos quatro anos.
Os exemplos já se vão acumulando, só nestas últimas semanas: é a apresentação da segunda fase das obras no Hospital da Horta e Unidade de Saúde de Ilha, num custo previsto de cinco milhões de euros “e que deverá arrancar ainda este ano”; é a reabilitação da antiga fábrica da baleia que vai avançar “lá para o Verão”; é a recuperação da guarita do forte de S. Sebastião, em que o governo “vai avançar com um projeto…”; é o Centro de Dia dos Flamengos, cujo projeto foi agora apresentado em cerimónia em que se falou do custo do investimento (um milhão de euros) mas onde não se deixaram compromissos temporais de execução.
E, nos próximos meses, mais anúncios, promessas e projetos serão periodicamente apresentados. E até concursos serão abertos. Mas, depois das eleições, se os resultados deixarem tudo igual, seguramente voltaremos ao mesmo: o ímpeto concretizador do presente entrará em desfalecimento, começarão as demoras, surgirão as dificuldades, fasear-se-ão umas obras, cancelar-se-ão outras, culpar-se-ão outros e, entretanto, mais quatro anos irão passar!
E, apesar de ter sido essa a regra dos últimos vinte anos (com uma ou outra exceção pontual), aqui no Faial, quem assim engana tem sido premiado neste seu comportamento, pois a maioria dos que ainda votam deu-lhes o poder.
Não me canso de repetir que votar é escolher. E escolher é avaliar. Avaliar os resultados de quem governou e avaliar as propostas de quem concorre ao ato eleitoral.
Não me canso de lembrar que há quatro anos o Partido Socialista se apresentou no Faial com um Manifesto Eleitoral onde, conhecendo a realidade de 2012 e as dificuldades expetáveis, se comprometeu com mais de 50 promessas que seriam para cumprir até 2016.
A esmagadora maioria delas não vai ser concretizada.
E isso tem de ser objeto e parte da avaliação que os eleitores do Faial devem livre e conscientemente fazer.
Por isso (e porque a memória é às vezes seletiva e excessivamente curta…), não me canso de lembrar que, neste nosso Faial se impõe que se pergunte, por exemplo:
1) Onde está a promessa do PS de “instalar o Parque Empresarial para empresas ligadas ao aproveitamento dos recursos do mar, em articulação com a promoção da investigação do mar profundo”?
2) Onde está a promessa do PS de “reabilitar a estrada regional Largo Jaime Melo-Capelo, bem como a ligação à Ribeira Funda”?
3) Onde está a promessa do PS de “promover a execução da 2ªfase da Variante à cidade da Horta”?
4) Onde está a promessa do PS de “proceder à requalificação de todas as estradas objeto de intervenções anteriores e que apresentam evidentes sinais de desgaste”?
5) Onde está a promessa do PS de “desenvolver os procedimentos conducentes à construção do campo de golfe do Faial”?
6) Onde está a promessa do PS de “reabilitar as termas do Varadouro”?
7) Onde está a promessa do PS de “criar na zona norte da ilha do Faial um edifício para Centro de Convívio de Idosos/Centro de Noite, creche e ATL”?
8) Onde está a promessa do PS de “construir o novo quartel dos Bombeiros”?
9) Onde está a promessa do PS de “promover a requalificação do Farol da Ribeirinha”?
10) Onde está a promessa do PS de “promover a criação no Faial de um centro de treinos da alta competição na área dos desportos náuticos”?
11) Onde está a promessa do PS de “construir um campo de jogos para o Atlético e para o Sporting da Horta”?
12) Onde está a promessa do PS de “reabilitar o pavilhão desportivo do Fayal Sport Clube”?
E podemos também perguntar se, até outubro, ficarão concluídos, como foi prometido, outros investimentos estruturantes como a Escola do Mar, a 2ªfase do reordenamento e requalificação da baía da Horta, a construção do novo matadouro da Horta ou a empreitada de reordenamento do saco do porto da Horta?
Abriu oficialmente a nova época de caça ao voto!
Com a desfaçatez e sem vergonha habituais…
21.03.2016

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO