A pandemia em números

0
18
TI
TI

1 Pelo mundo inteiro os números da Covid-19 são deveras assustadores. São quase 3,5 milhões de casos confirmados e 247 mil mortes, considerando a fiabilidade da informação. Os Estados Unidos são, destacadamente, o país com mais casos confirmados a nível mundial, 1.158.041 e também com mais mortes, 67.682. Logo a seguir, o Reino Unido e o Brasil são os países que têm reportado nos últimos dias mais mortes associadas à Covid-19.
Na Europa, a Espanha é o país que tem mais pessoas infetadas, 218 mil, a Itália tem mais mortes, 29 mil e França tem a maior taxa de letalidade, 19%.
As mortes europeias e americanas pesam 93% do total mundial, sendo que 71% das mortes estão concentradas em apenas cinco países: Estados Unidos, Itália, Reino Unido, Espanha e França.
Na Bélgica morrem 16 em cada 100 pessoas infetadas, a Alemanha tem mais de 163 mil casos e, embora seja o 5.º país mais afetado pelo surto, tem uma letalidade relativamente baixa, 4,1%, a mesma que em Portugal.
Com o número de novos casos a aumentar noutras partes do mundo, Portugal baixou a posição na lista de países com mais ocorrências contabilizadas em números absolutos, ficando em 20.º lugar.

2 Em apenas três horas foram angariados 7,4 mil milhões de euros para acelerar o desenvolvimento de vacinas e tratamentos para combater o novo coronavírus.
Entre os principais doadores da Resposta Global à Covid-19 aparecem o Japão (€762 milhões), a África do Sul (€1,1 mil milhões), França (€1,5 mil milhões), Alemanha (€525 milhões) e a Arábia Saudita (€456 milhões).
A Comissão Europeia prometeu dar mil milhões de euros e a China contribuir com €45 milhões. Portugal anunciou também um apoio de 10 milhões de Euros, a Fundação Bill e Melinda Gates €100 milhões e até a famosa cantora pop Madonna deu um milhão de euros.

3 Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) há oito vacinas da Covid-19 em ensaios clínicos em pessoas.
Das oito vacinas, quase todas estão na chamada “fase I”, que começa por testar, sobretudo, a própria segurança da vacina num grupo pequeno de voluntários, para garantir que não representará um risco maior para a saúde do que a própria doença que procura evitar.
A China participa em cinco das vacinas em ensaios clínicos, quatro estão a ser desenvolvidas por instituições apenas chinesas e a quinta reúne parceiros da Alemanha e dos Estados Unidos. As restantes três vacinas em desenvolvimento em todo o mundo dividem-se ainda pelos Estados Unidos (duas) e pela Europa (uma).

4 As previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI) indicam uma contração de 3% da economia mundial e da zona euro de 7,5% no ano de 2020, enquanto o Banco Central Europeu estima que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro poderá cair entre 5% e 12%.
Para o FMI, a Itália deverá contrair 9,1% este ano, a Espanha 8%, as economias francesa e alemã deverão perder à volta dos 7%, o Reino Unido deverá ver a sua economia cair 6,5% e os Estados Unidos 5,9%. E para Portugal o Fundo antecipa uma queda do PIB de 8% em 2020 e o desemprego a subir até aos 13,9%.

5 Há várias semanas estão parados e inativos cerca de 16.100 aviões de transporte de passageiros em 876 aeroportos, sendo que mais de 2.000 se encontram concentrados em apenas 10 aeroportos.
No Roswell International Air Centre, nos Estados Unidos da América (EUA) estão parados perto de 400 aviões, em Barajas (Madrid) estacionados 150 aviões de passageiros e em Lisboa, no aeroporto Humberto Delgado, estão parados mais de 50 aviões, a maioria deles da TAP.
O setor da aviação prevê, até abril, prejuízos na ordem dos 230 mil milhões de euros, uma quebra de quase 50% no tráfego aéreo e cerca de 25 milhões de desempregados.
São estes apenas alguns dos números, alarmantes, que este inimigo invisível originou a uma escala planetária.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO