Aeroporto da Horta e tiros no pé…

0
5

Recentemente fomos confrontados com a decisão do Governo da República de não avançar com a ampliação da pista do aeroporto da Horta.

Todos sabemos que essa é uma questão que preocupa os faialenses há largos anos e é um dos temas em cima da mesa quando se trata de esgrimir argumentos políticos entre as várias forças políticas da nossa ilha.

Na campanha para as últimas eleições legislativas nacionais foi distribuído um panfleto que questionava o que tinham feito os deputados eleitos pelo PS-Açores à Assembleia da República em defesa do aumento da pista do aeroporto da Horta. Ora, o assunto não estava esquecido, havia um processo que estava a ser conduzido no sentido de levar a bom porto um entendimento entre o Governo da República e o Governo Regional sobre esta matéria.

Até que algumas mentes iluminadas se lembraram, numa altura de crise como a que atravessamos, de perguntar ao Ministro da Economia, se este investimento seria para avançar. Resposta do Ministro: não estão previstas verbas para execução destas obras, considerada a grave situação económica que o País atravessa. Aliás, o Ministro foi mais longe e disse claramente que a obra não se justifica de maneira nenhuma. Diz que para além dos custos, não vê “necessidade de serem alteradas” as condições de exploração e que aeroporto da Horta está “sobredimensionado para o tráfego que o demanda”.

Um investimento aeroportuário do tipo que se prevê para o aeroporto da Horta é obviamente avultadíssimo. A ampliação da pista em 300 metros, custaria 48 milhões de euros, em 400 metros 61 milhões de euros e em 500 metros, quase 73 milhões. O que esperavam obter com este comportamento os deputados do PSD eleitos pelos Açores à Assembleia da República? Se calhar esperavam que o Ministro dissesse que essa seria a sua prioridade em 2012! Santa ingenuidade! Ou então tinham outro objetivo, talvez fazer passar a ideia que estão a fazer alguma coisa pela situação, quando na verdade, aniquilaram todo o trabalho que até agora estava a ser realizado! É assim que pretendem defender os faialenses?

Já sabíamos que vivíamos tempos de dificuldades, pelo que esta altura seria a ideal para descartar uma obra desta natureza, mesmo sendo,  tão importante para a nossa terra.

Não percebemos é porque se prestaram a este frete e a este péssimo serviço à terra que os elegeu.

Por estas bandas os protagonistas políticos do partido que está no poder na República, logo conseguiram perceber o efeito do comportamento dos seus digníssimos colegas, e tentaram a todo o custo desculpar-se dizendo que quem devia assumir a obra seria o Governo Regional.

Até percebemos o PSD Faial, num ato de desespero a tentar salvar a face. Mas a coisa já ia longe.

Como todos sabemos o aeroporto da Horta é gerido pela ANA –  Aeroportos de Portugal, S. A., empresa pública nacional. Também todos sabemos que é intuito do Governo da República privatizar esta empresa, prevendo a passagem para a Região dos aeroportos explorados pela empresa nacional.

É a RTP-Açores, é o IRS das Câmaras Municipais, são os aeroportos! Temos vindo a assistir ao que podemos qualificar de desresponsabilização do Governo da República relativamente às Regiões Autónomas.

Por outro lado, o PS-Açores defende, e já defendia antes das eleições, que no caderno de encargos da privatização da empresa fique explícito que os custos de exploração dos aeroportos geridos pela ANA nos Açores não passem para a Região, pois representam um elevado encargo financeiro para o erário regional e, para além disso, constituem uma obrigação do Governo da República. O objetivo do Governo de Passos Coelho é claro: passar para os Açorianos os aeroportos que dão prejuízo para vender aos privados os que dão lucro.

Gostei do fato de Vasco Cordeiro ter-se apressado a declarar a sua disponibilidade para apoiar o Governo da República na concretização do investimento necessário na pista do aeroporto da Horta. Aliás, numa reunião que teve com simpatizantes na Horta, referiu que já tinha reunido, antes de toda esta situação, com o novo Ministro da Economia, tendo referido ao mesmo que compreendia que a altura agora não era a mais apropriada para um investimento deste género, mas que queria uma calendarização da obra e que o Governo Regional estava disponível para apoiar a mesma. Algo que até tinha sido visto com bons olhos pelo Ministro.

A posição adotada pelos deputados da República do PSD-Açores foi um erro crasso, um verdadeiro tiro no pé. Esperamos a bem dos faialenses, e dos açorianos em geral, que esta estratégia não se repita.

www.arquipelagica.blogspot.com

                                                              Horta, 9 de Janeiro de 2012

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO