Época de solidariedade

0
8

Acabámos de celebrar a festa da família, a época do ano em que nos sentimos mais próximos daqueles de quem mais gostamos e em que os nossos corações se enchem de sentimentos positivos, como a partilha, a gratidão, a amizade e a solidariedade.

Nesta altura, e tendo em atenção a difícil conjuntura mundial que atravessamos, a solidariedade dos que mais podem, a sua disponibilidade em auxiliar os que infelizmente atravessam dificuldades, revela-se de uma importância fulcral.

No Natal gostamos de dar. Gostamos de dar e receber em troca um sorriso. Posso afirmar com toda a certeza que um sorriso de uma criança que pouco tem é a melhor prenda que podemos receber. Um sorriso duma mãe mais aliviada por ter que pôr na mesa para os seus filhos na ceia de Natal reconforta-nos a alma.

Por isso digo, como gostaria que fosse sempre Natal! Porque nos nossos dias, as iniciativas de solidariedade que nesta altura proliferam não podem ser descuradas de futuro. Há famílias que precisam da nossa ajuda não apenas no Natal, mas durante todo o ano. Existem situações muito difíceis, em que ambos os membros do casal estão desempregados, e havendo crianças a situação torna-se verdadeiramente grave.

Estando no terreno às vezes deparamo-nos com situações deveras dramáticas que nos fazem pensar na justeza do mundo em que vivemos. Infelizmente as situações de desigualdade social agravam-se de dia para dia.

Mas acredito que, apesar das perspetivas não serem as melhores, devemos abraçar o novo Ano com uma esperança renovada. Esperança num Mundo melhor. Na despedida do ano velho desejamos sempre que o próximo seja melhor, cheio de sucessos, realizações e expetativas, que nos traga tudo o que queremos e que os nossos desejos se realizem.

Estas são por vezes palavras repetidas apenas por conveniência, sem verdadeira consciência do que queremos efetivamente dizer. Dada a situação difícil estas palavras, além de proferidas, devem ser efetivamente sentidas e devemos tentar dar o nosso melhor no dia-a-dia em prol de uma sociedade melhor, mais justa e solidária.

O homem, como ser social que é, deve interagir em sociedade duma forma integrada. Acredito que apenas uma sociedade com igualdade de oportunidades para todos criará e formará cidadãos preparados para o futuro, consciencializados que um pequeno gesto pode fazer a diferença. Que eu, tu, todos nós podemos ajudar a desenvolver uma sociedade melhor.

Sou por natureza uma pessoa otimista. Sei que os tempos são difíceis, e para alguns são mesmo extraordinariamente difíceis, mas que o espírito de fraternidade que por estes dias experienciamos se prolongue para o ano Novo, ajudando-nos a vencer os desafios que por aí vêm!

Um excelente 2013!

 

www.arquipelagica.blogspot.com

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO